Sobrevivencialismo X Pessimismo

Depois de certo tempo imerso na cultura sobrevivencialista comecei a perceber alguns pontos onde eu entro em discordância. Acredito que isso seja normal, afinal, não há como nos identificarmos de forma completa com um movimento/causa/ideia, não é?

Quando comecei a escrever para o blog sempre dei um tom instrucional ou de reflexão para os textos, tentando disparar a pequena “sirene” na cabeça das pessoas para que elas se tornassem mais conscientes da fragilidade do nosso sistema atual, porém acredito que em alguns casos, o tiro acabou saindo pela culatra.

Interagindo com muitos colegas de diversos locais do país (e mundo) consegui ter uma noção bem legal de qual é o perfil sobrevivencialista, ou seja, que tipo de pessoas são as mais interessadas neste movimento e gostam de debater os temas aqui presentes, mas… Confesso que estou um pouco preocupado.

Aqui faço uma confissão meio polêmica para todos: Detesto pessimistas.

Não sinto prazer algum em falar com pessoas catastróficas ou dramáticas que só faltam tocar violino enquanto estão falando sobre as diversas dificuldades que vamos sofrer e o quão ruim será para todo o planeta os acontecimentos que ele prevê.

Mas calma lá! Deixo claro aqui uma diferenciação muito importante: Pessimismo está longe de ser realismo.

A diferença é muito pequena (infelizmente), mas ela existe. Ser realista é tomar em consideração os fatos e o possível desenrolar destes. Quando digo fatos, não digo textos escritos em blogs de conspiração ou amigos aleatórios que trazem “notícias que vazaram da NASA”.

Fatos são aqueles que podem ser comprovados em diversas fontes e nos dão elementos tangíveis e palpáveis. Neste ponto é válido ressaltar uma das mais importantes habilidades do sobrevivencialista: Ser um exímio pesquisador.

Essa habilidade julgo ser uma das mais importantes, pois só podemos reagir – e usar os equipamentos e habilidades que tanto valoramos – quando conseguimos captar informações coerentes e reais.

O pessimista, por outro lado, é aquele que orienta seu discurso e pensamento sobre o futuro de forma supersticiosa, apostando em eventos cinematográficos com enredos no mínimo chocantes e dramáticos. São aquelas pessoas que falam tanto de possíveis tragédias que começamos a pensar se eles realmente não querem que ela aconteça.

Esse tipo de pessoa trata o assunto de possíveis crises como se aí morasse a possibilidade do “mundo ficar sem leis” e ele se tornar o rei da cocada preta. Fantasiam com um mundo incrível onde podem ser poderosos e fazerem o que quiserem e, afogados nesta ilusão, acabam adotando um discurso dramático e pessimista como se estivessem na torcida para que o sonho se tornasse realidade.

Isso meus amigos, não é nem de longe sobrevivencialismo… É brincar de faz de conta.

Com o tempo é natural que comecemos a filtrar as pessoas com quem nos relacionamos. Assim como em grupos de amigos onde sempre há aquele com quem você acaba perdendo contato, ultimamente não tenho tido paciência para os que gosto de chamar de “Profetas do apocalipse”.

As situação está ruim? Está. Pode ficar muito pior? Com certeza, mas eu não vivo a minha vida pensando em tragédia, vivo todos os dias com um sorriso no rosto e lutando para conquistar meus sonhos.

Estar preparado é ter planos B, C e D para possíveis situações difíceis, mas torcer ao máximo para não usá-los. Para finalizar o texto uso a máxima sobrevivencialista que engloba tudo o que disse até agora:

“Prepare-se para o pior, torça pelo melhor”

Se você se incomodou pelo tom desta postagem peço perdão, mas seja bastante crítico e perceba se você não está apresentando os comportamentos que acima relatei. Não quero ofender ninguém, mas hora ou outra sempre é importante falarmos o que estamos pensando da forma mais clara possível.

Até.

Anúncios

21 Comentários

  • Não tem um site que entramos que não contenha um texto ditando o que devemos fazer, o que é certo ou errado, a maioria dos sites e blogs adotam postura de revistas de comportamento, daquelas de consultório.

    Melhor seguirmos nosso próprio caminho ao invés de se preocupar em fazer parte de panelinhas.

  • Paradoxo de Stockdale ? Como viver somente com a realidade sem esperanças mesmo que sejam ínfimas? Acredito que sem algo a se apegar a depressão vai matar antes dos seus inimigos.

  • Paradoxo de Stockdale ? Como bons pesquisadores e conhecedores da história, já conhecem bem este paradoxo, mas, como viver sem esperança apenas com o realismo sem se afundar em depressão?

  • Olá Julio gostei da forma de vc passo a sua opinião, eu mesmo penso parecido fiquei uns dias sem net e quanto voltei me assustei com os comentarios do pessoal vou ver o pq e era só pessimismo mesmo.
    um abraço.

  • Concordo com cada linha que vc escreveu. Sobrevivencialista é a pessoa que toma a responsabilidade para si. Tornar-se mais autosustentável, ter alternativas a essa loucura do Sistema hegemônico, que te engole se vc der mole. Eu passei a fazer uma preparação espiritual pq o mundo já está muito negativo e eu não posso ficar nessa vibração que só traz desamor e infortúnio. Estou vendo e achando extremamente preocupante a formação de grupos de extrema-direita que querem fazer justiça com as próprias (acreditam que o Estado se dissolveu) e estão começando a matar em nome disso, do outro lado vejo uns paranóicos (doentes ou oportunistas, não conheço pessoalmente para saber) querendo criar grupos paramilitares.

  • Olá Julio, acredito que sejamos sobrevivencialistas natos, pois não me recordo exatamente quando comecei com este “modo de vida”. Agora também que começo a dar instruções e a blogar também comecei a perceber “mais de perto” esses diferentes tipos de pensamento, Em uma demostração de minha BOB, uma pessoa se mostrou muito interessada, fez muitas perguntas, observou com muita atenção, visivelmente querendo aprender mais, porém chamou a BOB de mochila do apocalipse, expliquei que não era esse o objetivo, mas foi assim que a pessoa entendeu.
    a impressão que tenho oé semelhante a sua, o que faço é igual, aplico o filtro, Talvez por isso eu tenha 3 blogs, assim procuro não misturar material. Também espero nunca ter que viver de minhas preparações e não ter que enfrentar um longa jornada a pé em uma evacuação. Contudo estejamos preparados. Um grande e fraterno abraço e vamos perseverar com nosso objeto.

  • Gostava de ouvir sobre sobrevivencialismo, e estratégias de sobrevivência. Mais a partir do momento que o autor não fala nada sobre Deus profecias coisas evidentes na santa palavra de Deus e em muitos filmes e noticias do cotidiano, e pior vem criticar quem fala sobre isso, e falar sobre pessimismo e otimismo, coisas particulares da psicologia, ai só li bobagens, e desanimei, parei por aqui.
    A salvação não pode vir exclusivamente de obras humanas, mais de Cristo o caminho a verdade e a vida. A eternidade começa aqui e aqui tudo vai passar, porém a vida eterna e a cidade eterna está nos céus aonde Cristo está e para lá é que eu quero ir morar a eternidade. Para que vos lembreis das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apòstolos do Senhor e Salvador.
    Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências,
    E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.
    Eles voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste.
    Pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio,
    Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios.
    Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.
    O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.
    Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.
    Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade,
    Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?
    Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. 2 Pedro 3:2-13
    E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; Mateus 24:4
    Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; Hebreus 2:3
    Vi o Senhor, que estava em pé sobre o altar; e me disse: Fere o capitel, e estremeçam os umbrais, e faze tudo em pedaços sobre a cabeça de todos eles; e eu matarei à espada até ao último deles; nenhum deles conseguirá fugir, nenhum deles escapará.
    Ainda que cavem até ao inferno, a minha mão os tirará dali; e, se subirem ao céu, dali os farei descer.
    E, se se esconderem no cume do Carmelo, buscá-los-ei, e dali os tirarei; e, se dos meus olhos se ocultarem no fundo do mar, ali darei ordem à serpente, e ela os picará.
    E, se forem em cativeiro diante de seus inimigos, ali darei ordem à espada que os mate; e eu porei os meus olhos sobre eles para o mal, e não para o bem.
    Porque o Senhor DEUS dos Exércitos é o que toca a terra, e ela se derrete, e todos os que habitam nela chorarão; e ela subirá toda como um rio, e abaixará como o rio do Egito.
    Ele é o que edifica as suas câmaras superiores no céu, e fundou na terra a sua abóbada, e o que chama as águas do mar, e as derrama sobre a terra; o Senhor é o seu nome. Amós 9:1-6

    • Primeiramente peço perdão por minha sinceridade. Essas coisas você deve procurar na igreja / templo, ou local destinado para esse fim. e não em um canal sobrevivencialista. Particulamente sei diferenciar sobre minha filosofia de vida, sobre minha fé, e sobre grupos em que participo.

  • Caro Júlio
    A diferença entre um otimista e um pessimista, é que um pessimista vê a realidade á milhas de distancia, muito antes que um otimista.
    A isto eu não chamo de pessimismo, mas de experiencia de vida.
    Sou apologista do sobrevivencialismo não xiita.
    Mas sempre digo esta máxima:
    A REALIDADE SEMPRE NOS ALCANÇA !!!!!!!!!!!
    Lhe envio um site para que possa ver para onde caminha o mundo.
    Abraços.

    Ramiro Lopes Andrade
    engenheiro civil – Araruama – RJ
    —————————————————————————–
    Mais um país admite possuir armas atómica, Arabia Saudita, e misseis.
    Leia é importante.

    http://www.defesanet.com.br/geopolitica/noticia/15232/Arabia-Saudita—Impressionante-Manobra-Abdullah-Sword-/

    Além de uma maciça demonstração de forças convencionais a Arábia Saudita revelou, pela primeira vez, um segredo estratégico do reino.
    Desfilaram dois exemplares do Míssil Balístico de Alcance Intermediário (IRBM), chinês Dong Feng-3 (DF-3), com ogivas nucleares múltiplas (50-100kT), adquiridos em 1987. Os IRBM têm um alcance entre 3.500 a 5.500km. Fontes de inteligência acreditam que a Arábia Saudita possua ao menos 24 DF-3.

    Além dos equipamentos de apoio ao IRBM DF-3, também desfilaram indicadores de que o “Reino dos Saud” possui o Míssil Balístico de Médio Alcance (MRBM), DF-21, também chinês. O alcance de um MRBM é de 1.000 a 3.000 km.

    È relevante observar, que 48 horas antes, de os Sauditas revelarem suas armas nucleares, o Primeiro-Ministro israelense Netanyahu, declarou que a ameaça aos judeus pelas armas nucleares do Irã é a mesma que a dos Nazistas 75 anos atrás.

  • Obrigado Julio, há tempos vinha acreditando muito nesses sites conspiracionistas. Não que o que aparece lá é tudo mentira, pois existem muitos posts com fontes confiáveis (dependendo do site, eu acesso o http://www.anovaordemmundial.com) e que podem ser checadas.
    Mas o fato é que eu deixei de fazer muitas coisas por causa deles. Pensar diferente e sempre preocupado com o que pode acontecer com a humanidade. E sem mover um dedo para mudar essa situação.
    Bom, vou mudar minha postura, e ser mais sorridente.
    E começar a pensar mais no sobrevivencialismo!

  • Vamos celebrar a estupidez humana
    A estupidez de todas as nações
    O meu país e sua corja de assassinos
    Covardes, estupradores e ladrões
    Vamos celebrar a estupidez do povo
    Nossa polícia e televisão
    Vamos celebrar nosso governo
    E nosso Estado, que não é nação
    Celebrar a juventude sem escola
    As crianças mortas
    Celebrar nossa desunião
    Vamos celebrar Eros e Thanatos
    Persephone e Hades
    Vamos celebrar nossa tristeza
    Vamos celebrar nossa vaidade.

    Vamos comemorar como idiotas
    A cada fevereiro e feriado
    Todos os mortos nas estradas
    Os mortos por falta de hospitais
    Vamos celebrar nossa justiça
    A ganância e a difamação
    Vamos celebrar os preconceitos
    O voto dos analfabetos
    Comemorar a água podre
    E todos os impostos
    Queimadas, mentiras e sequestros
    Nosso castelo de cartas marcadas
    O trabalho escravo
    Nosso pequeno universo
    Toda hipocrisia e toda afetação
    Todo roubo e toda a indiferença
    Vamos celebrar epidemias:
    É a festa da torcida campeã.

    Vamos celebrar a fome
    Não ter a quem ouvir
    Não se ter a quem amar
    Vamos alimentar o que é maldade
    Vamos machucar um coração
    Vamos celebrar nossa bandeira
    Nosso passado de absurdos gloriosos
    Tudo o que é gratuito e feio
    Tudo que é normal
    Vamos cantar juntos o Hino Nacional
    (A lágrima é verdadeira)
    Vamos celebrar nossa saudade
    E comemorar a nossa solidão.

    Vamos festejar a inveja
    A intolerância e a incompreensão
    Vamos celebrar a violência
    E esquecer a nossa gente
    Que trabalhou honestamente a vida inteira
    E agora não tem mais direito a nada
    Vamos celebrar a aberração
    De toda a nossa falta de bom senso
    Nosso descaso por educação
    Vamos celebrar o horror
    De tudo isso – com festa, velório e caixão
    Está tudo morto e enterrado agora
    Já que também podemos celebrar
    A estupidez de quem cantou esta canção.

    Venha, meu coração está com pressa
    Quando a esperança está dispersa
    Só a verdade me liberta
    Chega de maldade e ilusão.

    Venha, o amor tem sempre a porta aberta
    E vem chegando a primavera –
    Nosso futuro recomeça:
    Venha, que o que vem é perfeição

    Legião Urbana

  • Caro Júlio: continue pregando a preparação realista para emergências as mais diversas no âmbito pessoal, familiar, profissional, espiritual, intelectual, físico e social. Noé não fez diferente, cada cravo que cravava na madeira da arca era uma advertência, um “Alerta!” E com exceção de sua família, todos os demais continuaram “zoando” e chegada a tormenta, morreram. A postura de Noé é fruto de amor, muito amor a si próprio, aos seus e ao próximo, independente de como se comportem. Seu trabalho, enriquecendo-nos, é de um valor ímpar para uma grande maioria, que encontra a possibilidade de se ajudar e ajudar aos demais nos casos emergenciais, desde um simples desemprego em família até uma hecatombe regional ou mundial. Prossiga fazendo o seu melhor. A história vai ser contada por cada um dos sobreviventes com os devidos créditos, com certeza. Acompanho seu trabalho com muito interesse, respeito e admiração e só tenho elogios a você. Um grande abraço

  • Acerca de leis:
    Estamos em uma sociedade quase apátrida, desunida, regida por uma legislação com falhas grosseiras estrategicamente plantadas, em escala muito maior que seu modelo europeu?
    Isso é fato inegável, mas apenas vê quem quer, como quer.
    Tão falha que dá toda defesa e apoio para estratos mal-intencionados da população que atingem o poder (qualquer poder) e o usam para benefício próprio de maneira inconseqüentemente maléfica, e confere também enorme complacência à ineficiência do estado, suas causas, causadores e efeitos.
    Essas leis que, note-se, são punitivas apenas no sentido descendente, merece por suas falhas no mínimo a desconfiança de qualquer cidadão de bom senso.
    Adiante no raciocínio, uma má lei não é melhor que nenhuma, pois a conotação nos dois casos pode ter resultados idênticos tanto para bem quanto para mal.
    Lembremo-nos que um navio à deriva ainda segue a rota da correnteza.
    Essa carta de leis não pode ser ignorada pelos danos que essa atitude pode acarretar, mas ao mesmo tempo, é preciso estar muito fascinado para considerá-la um escudo, uma tábua de salvação ou porto seguro se antes de invocá-la não tiver à mão, em quantidade suficiente, o poder maior que rege o mundo.
    Acerca de “profecias apocalípticas”:
    O sistema social atual tende a ruir? Já está ruindo? Ruiu e não estamos sabendo? Ou jamais ruirá? Invasão alienígena, explosão solar, apocalipse nuclear, meteoros, superepidemia a nível mundial?
    Não se pode fazer nem uma nem outra afirmação sem se expor ao risco do acaso e o ridículo que se exporá caso não se torne realidade.
    Engana-se redondamente quem imagina ou crê sem ressalvas que o poder público existe para o proteger e apoiar indefinidamente pois em caso de crise, o mesmo cidadão que se dispôs e é pago para isso pode bem ser capaz de tirar o seu pão, pisar seu pescoço sorrindo e, sem qualquer sinal de remorso ou arrependimento prosseguir em seus próprios planos. Estados são dissolvidos em minutos, leis são substituídas, servidores também têm fome.
    A Lei de Gerson e a Lei de Muricy sempre prevalecem em casos de crise enquanto que o ser humano é o único animal que se pode esfolar mais de uma vez e tudo isso valida e reafirma um ditado antiqüíssimo: “Não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe”.
    Cogitar acontecimentos futuros plausíveis baseados em fatos atuais é o primeiro e mais importante passo para uma preparação sensata por mínima que seja, pois doutra forma, seria impossível dizer “Prepare-se para o pior, torça pelo melhor”
    Mas deve se apoiar em fatos que se possa comprovar, verificar sua fonte- principalmente pela infinidade de motivos que podem tanger os acontecimentos em uma ou outra direção, pois fatos inventados ou sonhados induzem a enganos que impõem às conjecturas enormes margens de erros.
    A tal linha fina entre o pessimismo e o realismo é tão verdadeira que salvo casos em que a diferença esteja inegavelmente nítida, abraçar e correr ou condenar e apartar envolve risco e apenas o tempo definirá se são paranóia ou prevenção.
    Mas em qualquer dos casos, extremos e exageros podem e devem ser evitados em todos os aspectos da vida e o que se fizer deve ser feito de maneira a gerar bem-estar físico e mental.

  • carlossilvapb

    Eu me preparo para o pior cenário possível, que é o de uma crise generalizada. Se não for assim, por que me preparar? Não estar preparado para o pior é não estar preparado. Sei que crises geradas por tempestades solares, erupção de supervulcões e coisas do gênero tem uma chance pequena, muito pequena de acontecer, mas não desprezíveis. Sei que um colapso financeiro causado por hackers ou falhas em computadores tem uma chance muito pequena de acontecer, mas não desprezível. É fato que nossa sociedade se fragiliza a cada dia. Sistemas que antes nem existiam, ou eram de uso restrito, hoje são essenciais. GPS e internet são dois deles. Existem inúmeros estudos que mostram o quão deficientes são esses sistemas. Como não esperar o pior? Seria como ligar vários aparelhos em uma única tomada e achar que nada vai acontecer.
    Tudo isso não me torna pessimista. Sou apenas realista. Uma hora, vai dar merda. Pode até ser que aconteça daqui a uma hora, um ano, um mês, um século. Mas, vai dar merda. Agora, isso não me deixa uma pessoa supersticiosa, uma pessoa sensacionalista. Longe disso. As minhas conclusões são o resultado de muita pesquisa. Espero nunca passar por uma crise severa. Mas tenho a consciência de que ela virá. E, eu acho que, quem não vê dessa forma está equivocado.

  • João Alfredo

    Caro Julio, texto esclarecedor e devidamente pertinente. Vem ao encontro de um e-mail que te enviei há algum tempo e quero acreditar que essa seja a resposta para o mesmo. O assunto levantado é de importância pois é importante considerarmos todas as questões envolvidas, ainda mais com a chuva de “Teorias Conspiratórias” que pululam na rede mundial. Acrescento à máxima sobrevivencialista, já citada por ti, o lema dos escoteiros: Sempre Alerta!

    Um grande abraço e parabéns novamente.

  • Ser realista, é atentar aos fatos, como diz do texto, é procurar informações confiáveis e reais, não ficar delirando sobre brincar de sobreviver.
    Como o Colega Mark ai diz, se tiver de reagir, a gente reage, mas a gente prefere que não tenha que passar por isso, mas se acontecer estamos preparados.
    Minha cidade vive o tipico caos urbano de violência, pra uma cidade de 45 mil habitantes, tem uma taxa de homicídio alta e com alguns crimes bárbaros…
    Na minha localidade, não teria problemas com enchentes,ou rompimento de dick, o problema real é violência e roubo de residencias a qualquer hora do dia.
    Pode haver mais de uma catástrofe, pode, mas acho que as preparações tem que se voltar a sua necessidade, ao que é primordial, e depois ir expandindo a coisas possíveis de acontecer…

    Grande Abraço a todos!

  • Otima postagem e bem na hora em que tem pipocado nas redes sociais caras “fodas” com invençoes “brilhantes¨ (tiradas da internet de sites/blogs gringos ou ate mesmo de outras paginas da mesma rede social) e que arrumam um monte de puxa-sacos que curtem e comentam tudo o que essa pessoa posta…varias paginas sobre Sobrevivencialismo e preparaçao surgiram no ultimo ano e so postagens e compartilhamentos sem ter certeza se o fato é real ou nao, a intençao é ter gente lendo e falando sobre aquilo, nao importa se é mentira…
    Quem é Sobrevivencialista deve ser realista e nunca pessimista, senao ta morto em pouco tempo, o Sobrevivencialista realista e otimista vai tentar, a cada adversidade, tirar o lado bom do acontecimento e aproveita-lo em seu beneficio, se fortalecendo cada vez mais…
    Ja faz algum tempo que tenho me afastado de pessimistas que nao acrescentam nada na minha vida e tentado com que os otimistas reforcem esse tipo de visao, caso queiram manter-se proximos de mim por amizade, afinidade ou laços familiares…
    Esse texte refletiu mto bem o pensamento de varios Sobrevivencialistas que conheço e os quero proximos caso SHTF pois sei que com eles junto comigo seremos mais fortes. 😀

    • Michel, seu texto não poderia ser mais exato.

  • Marco Gonzalez

    Julio, você não está falando de sobrevivencialistas e sim de doentes mentais. O sobrevivencialista se prepara, mas também trabalha e procura melhorar o mundo em que vive. Já estes doentes mentais que sonham com um apocalipse, espero que eles fiquem bem longe de mim numa eventual crise, pois só vão piorar as coisas.

  • Concordo. Na minha preparação encaro duas preocupantes realidades.
    A primeira e mais imediata que é a de romper-se um dick aqui na minha cidade, o que acabaria por inundar todas as casas de 3 bairros, no qual o meu esta elencado;
    A segunda ameaça a longo prazo de uma depressão da economia global, que agora esta balizada pelo fator Dólar e não mais pelo fator ouro. Isso poderia instaurar um caos social pior do que o que foi o da década de 1930, depois do “crash” da bolsa de Nova York.

    Sinceramente não quero que nenhum dos dois aconteça, no entanto morando perto de uma Base Aérea, com uma refinaria de gás às portas de casa e com um poder público incapaz de realizar a manutenção de um simples dick estar preparado não chega a ser uma questão de opção e sim de bom senso.
    Não quero ser assaltado, por isso me cuido. Não quero ter que reagir porque sei os custos de um processo, mesmo os de uma ação na qual tu vai ser absolvido por legítima defesa tem custos, e o maior deles é perder a paz. Mas estou preparado, reagiria novamente mesmo sabendo das implicações.

    A nossa vida é o resultado de nossas escolhas, claro que penso que a melhor escolha vai ser a que vai me tirar vivo e com todos meus familiares a salvo, em perfeito estado de saúde: física e mental.

    Julio excelente texto!

  • Hahaha!!!Bem verdade!!!Já vi pessoas em discussões de fórum e outros, quando ia contra meus argumentos de dizer que eu não sabia nada…e blá blá blá que nem vale escrever!!!Usando a “máxima” do mundo contemporâneo digo-lhes: SABE DE NADA, INOCENTE!!!Hahaha!!!Ótimo texto.Sinceridade e Realidade é essencial!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s