O sobrevivencialismo na mídia

Conforme o fim do ano vem se aproximando, mais recebemos e-mails de revistas e canais televisivos interessados em saber o que fazemos e porquê nos preparamos. Essa evidência na mídia é benéfica ou não?

entrevista
Entrevista com a equipe da TV Morena para o canal GloboNews

A tão temida data de vinte e um de dezembro tem trazido nossa prática para a evidência da mídia nacional, fazendo com que a pauta do momento seja o que fazer “se caso” o mundo que conhecemos chegar a um fim. Em minha opinião, temos uma situação que pode servir para beneficiar ou denegrir nossa prática… A linha é bastante tênue.

Digo isso pois a TV tem um foco bastante específico nesta história de “fim do mundo” e alguns programas acabam tentando nos “encaixar” nesta categoria de paranoicos, loucos varridos e afins… Então tudo depende da forma que o conteúdo é exposto. Muitas vezes o que é de vital importância para nós, sobrevivencialistas, pode ser ironizado ou satirizado por aqueles que não possuem o mesmo olhar que nós. Hoje tudo aquilo que foge da normalidade é rejeitado ou satirizado e convenhamos… Todos aqui já devem ter passado por uma situação onde nossas preocupações foram banalizadas.

A grande questão é que o que para a maioria soa como algo sem sentido e até mesmo louco, pode atingir uma minoria que está em busca do que nossa prática oferece. Se de todas estas reportagens que forem ao ar nós conseguirmos uma pessoa que viu o conteúdo com outros olhos e decidiu se preparar para possíveis crises futuras, meu trabalho está feito. Sempre digo que direta ou indiretamente, o que fazemos aqui pode salvar a vida de alguém no futuro.

Então façamos as coisas corretamente, com responsabilidade, ética e é claro, humildade.

Ser “dono do próprio nariz” é algo tão exótico e fora do comum hoje que as pessoas acabam achando absurdo ter um posicionamento assim… mas é importante que todos saibam que existem pessoas que se preocupam com o futuro de forma diferente e buscam a auto-suficiência para protegerem suas famílias e entes queridos.

Não quero entrar na onda sensacionalista da TV, mas quero ter a sensação de que estou tentando ajudar o maior número de pessoas possível… e isso fazemos colocando a cara à tapas. Também peço que não me vejam como alguém que quer se tornar “estrela” ou famoso, considerem-me apenas como uma pessoa comum que faz o possível para ajudar aqueles à sua volta.

Fiz este post para expressar um pouco do que anda ocorrendo e também aproveitar o espaço para pedir desculpas pelo atraso nas atualizações, nossos autores estão produzindo conteúdos muito bacanas mas final de ano é bem corrido para todo mundo!

E você? Acha que é legal essa evidência do sobrevivencialismo na mídia?