Pensando sobre nossa prepotência

Venho aqui lhes relatar um ocorrido que nos leva a pensar em algumas questões. Vale lembrar que metade do relato abaixo não é meu e sim dos amigos e conhecidos que me contaram.

Neste domingo passado estava jogando uma partida de Paintball em um motel abandonado aqui na cidade, local onde sempre frequento. Em meio a partida tropecei em uma pequena mureta e cai no chão, me levantei e continuei, passando sinalização tática e trocando disparos com oponentes como se nada tivesse ocorrido.

Após a partida, comecei a perguntar a todos que estavam no local onde eu estava, o que estava fazendo e como cheguei lá… no começo, todos acharam que eu estava brincando, já que nosso grupo é bastante conhecido por brincar o tempo todo. Depois de persistir com as perguntas perceberam que eu estava estranho e um amigo me levou ao hospital. Lá fiz todos os exames e fiquei um dia internado em observação, pois não sabia onde estava e o tempo todo repetia as mesmas perguntas. Após os exames soubemos que estava tudo bem.

No momento que escrevo este post já devem fazer quase 48 horas que o evento ocorreu, porém ainda estou um pouco desorientado e esquecendo algumas coisas, mas a previsão é de que amanhã tudo volte ao normal.

Se não fossem os relatos das pessoas à minha volta eu não saberia de nada, já que como memória só tenho algumas cenas desconexas como: Eu na ambulância, eu em uma maca e por aí vai… Imagine como é acordar todo ralado e dolorido em um hospital e não saber o que aconteceu contigo… Agora imagine que isso aconteceu pelo menos umas cem vezes… É bastante desesperador.

Mas o principal objetivo do post é o que a situação toda me leva a pensar em algo que nós sobrevivencialistas sempre achamos que não nos pertence, a nossa vulnerabilidade.

Estamos sempre nos preparando para sobreviver as mais loucas adversidades que o mundo pode nos apresentar, compramos itens caríssimos e armazenamos alimentos para muito tempo… mas muitas vezes cometemos o pior erro de todos. Devido à todas essas preparações, nos tornamos prepotentes.

Veja minha situação… Tenho um equipamento de Paintball muito bom, experiência de jogo, colegas à minha volta e todos os recursos necessários para “triunfar” na situação, mas uma pequena mureta e um momento de desatenção me custaram belos machucados e uma chance de ter danos mais severos. Supostamente estava “seguro”, mas um pequeno incidente me causa um transtorno imenso.

Agora levemos essa situação para nossa prática! Imagine você armado, com um grupo experiente a sua volta, com 2 anos de comida em casa e todos recursos necessários para lutar contra qualquer inimigo… Basta um tropeção na escada e você pode morrer ou ficar com sequelas permanentes.

Posso ficar escrevendo aqui por trocentas linhas, mas o meu ponto final é simples: Cuidado com a sua prepotência. Não se dê por seguro e preparado pois nunca se sabe o que as situações podem causar a ti, de nada adianta ser o dono do mundo e morrer escorregando no banheiro.

Só porque você está em meio a uma crise, não quer dizer que as ameças mais simples e até bobas desapareceram, muito pelo contrário… Elas estão mais propicias a te acertar pois você estará desatento.

Até.