Suporte Básico de Vida: Como reanimar alguém com parada cardíaca?

Curso Salve uma Vida é uma iniciativa da SBA tem por objetivo levar a população em geral informações importantes em uma linguagem simples, de forma a permitir o diagnóstico e início de reanimação cardíaca em pessoas vítimas de Parada cardíaca.

Definição de Sobrevivencialismo: O sobrevivencialismo é um movimento de grupos ou indivíduos (chamados sobrevivencialistas) que estão ativamente preparando-se para emergências… Bem se estamos nos preparando para emergências, vamos nos preparar para uma que realmente pode fazer a diferença entre a vida e a morte.

Motivos para aprender e praticar Suporte Básico de Vida:

  • Quase 80% dos casos de parada cardíaca acontecem em casa e são presenciados por um membro da família;
  • Menos de 10% sobrevivem. Isso por que a maioria das testemunhas não sabem fazer a reanimação básica;
  • A reanimação feita por quem presencia a parada cardíaca pode “dobrar” a chance de sobrevivência;
  • Cada minuto após a parada cardíaca diminui as chances de sobrevivência em 10%;
  • A parada cardíaca súbita é normalmente causado por um ritmo cardíaco anormal chamado de fibrilação ventricular;
  • As PCR também podem ser causadas por um infarto, choque elétrico ou por afogamento;

O que é e como descobrir se alguém esta em parada cardíaca?

  • Uma parada cardíaca acontece quando o coração PARA de BATER;
  • O diagnóstico deve ser feito o mais rápido possível, via de regra a pessoa que esta em parada cardíaca esta caída, devemos chamar a pessoa (senhor!!!), estimulando a pessoa pela ombros;
  • O paciente já pode ser considerado em parada cardíaca e deve-se iniciar rapidamente a reanimação  caso ele não responda a esse estimulo tátil e verbal;
  • Também podemos considerar parada cardíaca a pessoa que não respira ou que inconsciente respira com muita dificuldade;

Agora que conseguimos saber se uma pessoa esta em parada cardíaca, o que fazer?

American Heart Association’s AHA sugere o uso da Cadeia de Sobrevivencia:

A cadeia de sobrevivência do adulto é constituida por 5 elos, são esses:

1º Reconhecimento imediato da parada cardíaca e acionamento do serviço e Urgência (SAMU 192 ou Resgate 193);

2º Reanimação: Ressuscitação Cardío Pulmonar RCP, com enfase nas compressões torácicas ;

3º Rápida Desfibrilação (existem desfibriladores automáticos em diversos locais como shopping, estádios, aviões e grandes supermercados, na maioria dos casos a rápida desfibrilação esta relacionado a chegada do serviço de emergência).

Os próximos 2 elos dependem única e exclusivamente da chegada do resgate, são eles:

4º Suporte avançado de vida;

5º cuidados pós parada cardíaca eficiente;

 Como disse antes, devemos dar enfase nos 3 primeiros elos da corrente, simplesmente por que é aqui que realmente podemos agir. (desculpe mas por diversas vezes esse texto vai ser repetitivo, mas isso é intencional)

1º Reconhecimento imediato da parada cardíaca e acionamento do serviço e Urgência (SAMU 192 ou Resgate 193);

2º Reanimação; Ressuscitação Cardío Pulmonar RCP, com enfase nas compressões torácicas ;

3º Rápida Desfibrilação

O primeiro ELO da cadeia de sobrevivência é CHAMAR AJUDA, gritar para alguém ou telefonar para o serviço de Urgência:

O primeiro ELO é constituído basicamente de 3 ações principais:

1ª ação:Reconhecer rapidamente a parada cardíaca (perda da consciência, não meche e não respira ou respira com dificuldade);

2ª ação: Acionamento rápido do serviço de Emergência (SAMU 192 e Resgate 193);

3ª ação: Posicionamento correto da vitima;

O segundo ELO da cadeia de sobrevivência: Reanimação precoce com ênfase nas compressões torácicas:

Esse ELO foi o que sofreu maiores mudanças com os novos guideline da AHA em 2010, do conhecido A-B-C da reanimação, mudou para o C-A-B, isso quer dizer que até 2010 dava-se uma maior enfase a Abertura de vias aéreas e Breathing (respiração). Nos novos guideLines a enfase é primeiro para as Compressão torácica.

Considerações importantes sobre o SEGUNDO ELO:

• Localização das mãos durante a reanimação, traçar uma linha entre os dois mamilos (meio do peito); apoiar firmemente a região hipotenar da mão; com uma mão sobre a outra mão;
• Relação 30 compressões / 2 ventilações;      COMPRIMA rápido, 100 / minuto;
                                                                                             COMPRIMA forte, 5 cm;
CUIDADO! Evitar HIPERVENTILAÇÃO, ventilação boca a boca de 8 a 10 ciclos por minutos, o segredo é contar 1001, 1002, 1003, 1004, 1005, 1006 e somente depois ventilar novamente.
O terceiro ELO da cadeia de sobrevivência: Desfibrilação Rápida. Lembre-se existem desfibriladores automáticos em diversos locais como shopping, estádios, aviões e grandes supermercados, porém na maioria dos casos a rápida desfibrilação esta relacionado a chegada do serviço de emergência:

Os DEA´s Desfibriladores Externo Automático, são aparelho capazes de diagnosticar o ritmo cardíaco, decidir se esse ritmo é ou não desfibrilável e auxiliar nas manobras de ressuscitação.
 Esse é o simbolo da presença de um DEA no local:

Bem como disse antes, para a população geral os 3 primeiros ELOS são os mais importantes, espero realmente que essas dicas possam ser úteis em uma situação de emergência.