Perigo Animal: Animais Peçonhentos

Ao se aventurar na natureza devemos prestar atenção onde pisamos. Isso porque no mato há uma diversidade muito grande de animais, insetos, aracnídeos, etc. É sobre isso que falarei hoje.

A maioria dos bichos citados abaixo são de hábitos noturnos e não chegam a ser fatal em um adulto saudável, mas podem matar  crianças e pessoas debilitadas fisicamente. Atenção, eu disse “não chegam”, mas podem ser fatais dependendo da espécie, do lugar da picada, ou quantidade de picada.

Esses bichos também não costumam perseguir ou caçar você. Elas geralmente só te atacarão para se defender. Por isso cuidado onde pisa. Ao ouvir ou ver uma moita se mexer não procure saber o que é.

Não ande descalço, usar preferencialmente botas e calça comprida. Não ponha as mãos em buracos, tocas ou em monte de pedras. Ao manusear objetos que estavam no chão, verifique embaixo dela a presença de animais peçonhentos. Antes de se calçar um sapato, examine seu interior. Antes de se vestir balance a roupa e verifique-as.

Aranhas: O veneno da aranha geralmente não é fatal, porem pode causar morte das células, levando à necrose de tecidos. Determinadas aranhas podem causar distúrbios ao sistema nervoso, perturbações no ritmo cardíaco, câimbras, tremores e vertigem, além de dor.

Em caso de acidente com aranhas, se conseguir apanhar o animal, leve-o com você, e vá imediatamente ao hospital. Dele será extraído o antídoto que poderá salvar a vida do acidentado.

Nunca faça torniquete em um membro picado. Não deixe a pessoa movimentar-se muito bruscamente para que o veneno não se espalhe em seu organismo. Analgésico para amenizar a dor pode ser um primeiro socorro eficiente.

Cobras: No Brasil 80% dos acidentes com cobras são causados pela Jararaca. Ela vive em locais úmidos, geralmente próxima de rios, lagos, brejos, etc.. Além da jararaca, cuidado também com a surucucu, cascavel e a coral, que são as mais comuns em nosso país. A vida do acidentado depende da rapidez com que for socorrido, sendo assim, leve o acidentado imediatamente a um hospital, para receber soro antiofídico, se possível com a identificação da cobra ou a própria.

Não coloque nenhuma pomada no local, nem remédios caseiros, café, ervas, etc. Não esprema, corte ou chupe o local da picada. Não faça torniquetes, isso só prejudica, ao invés de ajudar. Imobilize o acidentado para que o veneno não se espalhe por seu organismo com muita rapidez. Deixe-o em repouso. Se a picada for nos membros, deixe-os mais altos que o corpo. De bastante água ao acidentado.

Escorpião: São animais geralmente discretos e noturnos, escondendo-se durante o dia sob troncos e cascas de árvores, por isso cuidado ao procurar lenha. Nas primeiras 24 horas após a picada do escorpião, a pessoa corre risco de vida.

Se conseguir pegar o escorpião, guarde-o para levar ao médico, que extrairá dele o antídoto contra o veneno da picada.

O repouso é importante para que o veneno não se espalhe pelo corpo da vítima. Torniquete não é aconselhado. Um analgésico local pode ser aplicado. Aplique compressas frias nas primeiras horas. Se puder, vá imediatamente à procura de atendimento médico. Se a pessoa estiver respirando mal, faça respiração artificial. A pessoa acidentada deverá ficar em observação por um período de seis a oito horas.

Lacrais: São extremamente ágeis e vivem em ambientes úmidos sob folhas e troncos podres, possuem hábitos noturnos e alojam-se sob pedras, cascas de árvores, folhas no solo e troncos em decomposição. Acidentes com esse animal geralmente provocam muita dor. As lacrais gostam muito de umidade.

Para a picada da lacrais não existe antídoto. Deve-se aplicar compressas quentes no local. Pode-se fazer uso de analgésicos e anestésicos sem adrenalina no local.

Formigas: Ao contrario do que se pensa, as formigas podem causar dano permanente ou matar por alergia grave. Alem disso, algumas formigas causam muita dor e febre em alguns casos. Por isso cuidado ao local onde você irá permanecer por algum tempo. Vistorie o local antes e verifique a presença de trilhas ou toca de formigas. Um anestésico pode ser aplicado no local da(s) picada(s).

Abelhas e Vespa (Marimbondos): A ferroada da abelha e da vespa é muito dolorosa, e a sensação instantânea é semelhante a de levar um choque de alta voltagem. Seu ferrão pode deixar a pele avermelhada, dolorida e coçando por até dois dias.

Apesar disso, o veneno não causa maiores danos, porem o veneno pode ser um perigo grave ou mortal em grande quantidade para quem é alérgico à sua composição.

Tanto as abelhas quanto as vespas tem hábitos diurnos e se concentram em colméias. Muito cuidado, pois as colméias podem estar tanto numa arvore bem alta, quanto no chão. Geralmente há uma grande concentração delas em volta da colméia, então ao vê-las afaste-se. Se houver um ataque em massa o melhor remédio é correr o mais rápido possível.

Anúncios

6 Comentários

  • Estava lendo um manual de sobrevivência, que dizia que em caso de picada de cobra, caso na haja atendimento medico, deve-se fazer um leve torniquete sem apertar demais de um lado e do outro no local da picada, para evitar que o veneno se espalhe rapidamente, logo em seguida com uma navalha, lamina ou algo assim deve-se fazer pequenos cortes nas maracas dos dentes e chupar o local afetado de 15 a 45 minutos, e logo em seguida afrouxar o torniquete, isso não iria remover todo o veneno, mais reduziria bastante a quantidade e as consequências. Oq vc acha Julio ?

  • Gustavo Marcolin

    Sinceramente eu usaria torniquete. HAHA Também não sabia que o certo seria levantar o membro com a mordida.
    Muito bom, parabéns!

    • Pois é Gustavo,

      São simples detalhes e dicas que nós lemos na internet e se um dia estivermos na situação, talvez esse conhecimento salve a sua vida ou de alguém em risco.

      Abraços.

  • Bem, vou deixar um relato de uma ocorrência com abelhas que tive alguns anos atrás, não foi no mato mas acredito que valha como dica para não cometerem o mesmo erro que eu, rs. Voltando para casa um abelha entrou em meu capacete e parei para tirar ambos de minha cabeça (o capacete a a abelha), o problema foi que algo aconteceu nacolméia e eu parei perto do enxame, comecei a sr atacado e, no desespero comecei a correr em circúlos sem sair de perto do enxame, rsrs podem rir, pois agora é engraçado, a dica, se acontecer algo do gênero com você, tente não se desesperar nem tentar matar as abelhas ou vespas, saia correndo, de prefrência numa direção, e se afaste o mais rápido que puder do local, como descrito acima no post, tentar manter o máximo de calma é o que vai fazer a diferença.

    • Nossa Paulo, tive um acidente parecido com o seu. Eu e duas amigas faziamos uma trilha , não sei da onde as abelhas surgiram , só sei que eram muitas e “sentaram” na gente, então antes que eu pudesse falar , minha amiga deu um tapa nas abelhas que estavam nas minhas costas, Ai já viu, muitas , mas muitas ferroadas , eu só mandava elas tamparem os ouvidos e o nariz, e passei a tarde toda no hospital tomando soro e medicamentos.

  • Pingback: Perigo Animal: Animais Selvagens |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s