Você é capaz de fazer o mal?

Crescemos em uma sociedade que nos ensina que devemos sempre tentar compartilhar a bondade, a simpatia e a felicidade… Mas será que estas características não podem atrapalhar em situações onde sua vida está sendo ameaçada por outra pessoa?

Este é um texto que compartilha minhas reflexões sobre o tema, não é um tutorial e visa apenas trazer uma ideia para debate. Adoraria saber sua opinião nos comentários.

De maneira geral eu sou uma pessoa de “coração bom”. Cresci em uma família sem conflitos, aprendi a ser educado, simpático e ajudar sempre que possível. No escotismo, prometi que ajudaria o próximo em toda e qualquer ocasião e até hoje tento viver minha vida com base nestes preceitos. Contudo, recentemente, comecei a enfrentar um dilema.

Um dos meus trabalhos como produtor de conteúdo é conhecer diversas histórias de pessoas que passaram por crises, guerras e semelhantes… E conforme meus estudos se aprofundavam, um padrão começou a ficar muito claro: aqueles que sobreviveram tiveram que fazer coisas ruins para se manterem vivos. Tiveram que ser, em vários momentos, cruéis, violentos e egoístas.

Eu queria ser capaz de sobreviver, mas como fazer isso sendo “bonzinho”?

Um conceito dos SEALS

navy-seal-wallpapers-29095-5961548.jpg

Recentemente li “O Sniper Americano”, uma autobiografia do atirador de elite com o maior número de mortes confirmadas dos EUA. Neste livro ele comenta sobre um conceito que se destacou aos meus olhos. Os SEALS (mergulhadores de combate da marinha americana) possuem uma doutrina onde um dos seus preceitos é “Intend to do evil” – Pretenda fazer o mal.

A guerra estabelecida no Iraque contra grupos islâmicos extremistas mostrou o quanto este conceito tem valor. Lá, americanos lutavam contra fanáticos que estavam prontos para dar suas vidas em troca da morte de alguns soldados. Houveram enforcamentos, esquartejamentos e tudo aquilo que você já ouviu falar e até mesmo tenha visto em alguns vídeos terríveis.

Não vou nem entrar na discussão da validade de tal conflito, porém uma coisa é certa, não havia espaço para piedade. O inimigo estava pronto para ser cruel, então os soldados americanos precisavam estar em pé de igualdade.

Em resumo, você pode ser a pessoa mais amável e tranquila do mundo, contudo, quando for necessário agir para proteger a si ou sua família, seja o ser humano mais cruel que a história já viu. Tenha vontade de fazer maldade. Essa é a lição e diretriz dos SEALS.

Na realidade brasileira isso se aplica?

dwlbecgwkacbfid

Hoje vivemos em um país absurdamente violento. Temos quase setenta mil mortes violentas por ano e um número incontável de outros crimes como estupro, sequestro, roubos e semelhantes. Este alto índice de violência e a baixa eficiência do sistema judicial e prisional criaram uma cultura marginal muito forte e agressiva, onde o indivíduo é doutrinado pelo tráfico e gangues desde criança.

Durante toda a sua vida o criminoso desenvolve um ódio e até mesmo nojo de nós, pessoas de bem, trabalhadores. Ele quer tudo o que temos, e está pronto para tomar da forma mais violenta que puder. Ele sabe fazer o mal. Ele quer fazer o mal. Não é novidade para ele. Ele gosta.

Isso me fez refletir sobre uma fraqueza enorme que alguns de nós sobrevivencialistas temos: Como nos proteger de alguém que foi criado para fazer o mal, enquanto somos educados para ajudar e perdoar? Como ligar o “demônio” dentro de nós quando ele for necessário?

Perguntas difíceis e polêmicas, com certeza.

Todos nós podemos ser violentos?

18-domestic-violence-rex.jpg

Na sociedade atual há um grande esforço para suprimir a violência e criar indivíduos pacíficos, que estejam prontos para construir um mundo melhor na base da cooperação e motivação. Isso é lindo… Mas não funciona muito bem na realidade que temos em nosso país.

Cheguei a conclusão dolorida de que um indivíduo que foi criado com a concepção de ser inerentemente bom pode enfrentar sérios problemas caso precise agir com “maldade” para se proteger ou proteger aqueles que ama. Ele pode hesitar, temer causar dano, temer machucar o outro… E morrer.

Apesar de uma adolescência bastante conturbada e quase delinquente envolvendo algumas brigas e infrações, eu não gosto de fazer o mal. Não gosto de ver outros sofrendo por minha causa. Fui criado para a bondade, e me senti vulnerável e fraco quando me peguei pensando em toda essa situação.

Basta um segundo de hesitação para disparar minha arma e pronto, eu morri para o criminoso que sentiu prazer em me ver cair no chão.

Tentando buscar soluções para esse dilema, comecei a pesquisar a essência do temperamento humano. Depois de muito ler, cheguei a uma simples conclusão: Seres humanos só existem hoje pois são uma espécie altamente eficiente no ato de matar. Mataram grandes predadores e espécies concorrentes a sua durante o período evolutivo. Somos, em essência, violentos. Isso significa que a capacidade de ser cruel está dentro de cada um de nós, suprimida em diferentes níveis.

Todos nós já tivemos, em algum momento, contato com esse “demônio” interior.

Lidando com a natureza violenta

gun_violence.jpg

A pergunta que ficou no ar é: Como posso acessar meu lado violento caso ele seja necessário? Para encontrar esta resposta recorri a estudos mais densos sobre comportamentos desviantes e violentos na espécie humana. O que encontrei, em resumo, foi o seguinte:

  • Quem cresce em um mundo violento terá facilidade em usar a violência: Isso é incontestável. Aquele que viveu em uma casa violenta ou tem um histórico com a violência com certeza tem maior aptidão para implementá-la em suas ações;
  • Atividades violentas aumentam o nosso nível de agressividade: Indivíduos que praticam artes marciais, defesa pessoal, tiro defensivo ou qualquer outra atividade que tenha como base a agressão ao outro acabam por se dessensibilizar para eventos violentos para os quais treinam;
  • Ideais e valores podem ser usados para justificar e enobrecer atos violentos: Assim como os americanos sentem que estão protegendo sua pátria ao matar “insurgentes”, a nível individual é possível aumentar a chance de uma reação violenta quando “desumanizamos” o oponente. Se você vê o criminoso como alguém que pensa, tem história e sentimentos, dificilmente conseguirá causar danos a ele.

Existem muitos outros fatores que influenciam neste fenômeno (genética, questões políticas e sociais, hormônios…) contudo em essência estes três tópicos foram os mais presentes em minha pesquisa. E eles, de certa forma, apontaram um norte para mim.

Eis meu pensamento:
Quando se trata de defender sua vida não podemos ir além do “preto e branco”, do “mau e do bom”. É fácil se perder em discussões teóricas sobre como a sociedade pode criar vítimas e que estas podem se tornar más por consequência, mas quando as armas estão apontadas, nada disso importa.

Enfatizo aqui que se o mundo fosse pacífico, eu também seria pacifista. Mas a realidade é diferente. Por isso, percebi que devia cultivar o dever moral de proteger aqueles que amo e ignorar a humanidade dos que decidem me ameaçar. Preciso, para me manter vivo, considerar aquele ser que me agride tão desprezível e nojento que a única solução é exterminá-lo, sem remorso. Simples assim.

Conclusões?

bf453f330dcc70ad70728ccb3a51818d-700.jpg

Eu confesso que sequer sei como terminar este texto. Talvez agora você esteja pensando que este texto é um completo absurdo, uma instiga ao lado perverso do ser humano. E você está certo, não posso negar. Contudo lembre-se que a verdade que ninguém quer te dizer é bastante simples:

Em um confronto imediato, o mais violento, cruel, treinado e equipado ganha.

Não há espaço para reflexões profundas, politicagem ou qualquer outra coisa. Se o indivíduo é vítima da sociedade, pobre, rico, preto, branco, alto ou baixo, no momento em que ele apontou uma arma para mim nada disso mais importa. Ele precisa cair para que eu fique de pé.

Eu encontrei meu caminho e digo, com certo orgulho, que hoje sou capaz de causar o mal a aqueles que ameaçarem a mim ou minha família. E confesso que provavelmente sentiria certo prazer nisso.

Até.

Anúncios

36 Comentários

  • Caros, vou colocar alguns fatores desconsiderados na questão do fazer o mal e que poderão agregar valor nesse entendimento, que não pode ser menos que epistemológico.
    Vou falar da segunda maior demo-cracia do mundo (a primeira é a Índia): o american way of life.
    Agora, existe uma mobilização para o impedimento de esquemas de armas feitas em impressoras 3D, o facebook (uma organização criminal para plotar os “perigosos”) se esmera em eliminar a troca desses dados em suas redes.
    Vamos à questão mais ampla dessa agenda: essas armas não têm registro, mas qualquer arma pode ficar sem registro, basta se raspar o registro e dar vários tiros depois do delito, pois as raias irão mudar garantindo a fragmentação da “digital” da arma. Essas armas dão apenas um tiro, tal e qual antigas garruchas e afins, só que depois de usadas se tornam imprestáveis devido a fadiga dos materiais (plásticos, polímeros ou metais sinterizados de baixa temperatura de fusão, como o alumínio), e isso tanto o del. João quanto o Alan podem melhor explanar.
    Ou seja, são armas ineficazes em qualquer situação de tiroteio!
    Mas as organizações criminais judiciária e legislativa estão usando o abjeto e cínico argumento de que podem ser armas para os (falsos) tiroteios em escolas que as fake news propagam! Mas não há nenhuma forma de algum serial killer escolher uma arma de um tiro apenas para distriburi tiros à rodo como metralhadoras giratórias! Ou seja, é tudo mentira e tem objetivo claro de sequestro de armas (sim, na terra do tio sam!).
    As pessoas acham que AR15 para cidadãos é absurdo, mas não ponderam quais são as armas dos governos, e é isso que vou descrever de forma rápida. Eles têm à disposição não só gases venenosos proibidos em guerra mas livres contra o povo, eles têm armas ESCALARES! E o que são essas armas? São armas de ataques massivos, direcionados e não evitáveis!
    Um exemplo de arma escalar são emissões de microondas (as mesmas de fornos) contra a população e, nesse caso, só uma roupa metálica protege, se não tivermos, SOMOS ASSADOS, pois a água do corpo ferve! Vocês acham que esse monte de antena de celular distribuído para todo canto é o que, para melhorar a comunicação dos selfistas e facebookistas? Sugiro que estudem sobre o fato de que ondas de celulares estão muito juntas das microondas matadoras!
    Outra: emissões de ultrassons, que não há forma de evitar e simplesmente explodem o corpo, dependendo da intensidade, ou fervem também as entranhas. Mais uma: emissões de ondas eletromagnéticas nas frequencias biológicas, ou seja, todas as biometrias “para o bem do povo” foram feitas para MATANÇA DO POVO, pois se temos a frequencia eletromagnética de qualquer parte do corpo basta emitirmos a mesma frequencia em sentido oposto e em fase igual e AMBAS se ANULAM (assim funcionam abafadores de tiro, só que com ondas sônicas), ou seja, o alvo cai morto por colapso funcional, o famoso “mal súbito”!
    E todos ofereceram de bel prazer suas biometrias que os governos exigiram com coação e chantagem e agora é possivel matar cada individuo personalisticamente ou coletivamente, bastando para isso a emissão dessas ondas em sentido oposto! Ou seja, não adianta fugir e basta uma ligada de celular para se cair morto na mesma hora, quando o alvo atender a ligação! Se fosse só para pegar a impressão digital o nome seria datilometria, mas não é, tanto é que não adianta colocar um pale com a impressão digital a lá “tocar piano”, tem que ser os dedos para pegar a assinatura eletromagnética sobretudo do coração através dos capilares dos dedos. O objetivo é um só, a matança geral da população para que os donos do mundo fiquem contudo pois computadores já substituem os humanos inúteis!
    Mas para isso essa cambada precisa que todos deem suas biometrias regularmente, de forma a terem o padrão, visto que biometrias variam ao longo da vida, ou seja, quando tiverem um padrão, farão o algoritmo mortal e mataram a todos em uma tacada só, pois se fizeram devagar o povo desconfia e se protege até alterando suas ondas biométricas.
    E podem ser enviadas via satélite, ou seja, o estado pode matar qualquer um de forma “subita” e indetectável a hora que quiser!
    E todos foram obrigados não só a entregar suas ondas biométricas, elas, aqui no brasil, foram entregues para a esperian serasa, uma enpresa inglesa de controle mundial, e tudo feito pelo TSE (traição e crime de lesa pátria, pois essa cambada não tem direito de fornecer nossos dados por força de LEI, ainda mais para empresas alienígenas).
    Daí, qual a diferença que faz um revolver, pistola, até glock, AR15, AK47 contra essas armas?
    NADA, nenhuma, e mesmo assim os criminosos governantes ficam fazendo firula com papo de armas de 3D, o que na realidade é um ataque às impressoras 3D, pois essas sim, nas mãos de pessoas hábeis, são perigosas para as governanças!
    Mas o povo já formatado, desconhecedor da real ciência, não tem ciência do jogo, da agenda, e acredita até que governo não é organização criminal!
    Só nessas questões mostro que religião que amansa é CRIMINOSA, estado que alega controle da população tem como única meta o SEQUESTRO do cidadão ou sua execução!
    E nessa toada, o que não falta é gente tendo fricote querendo debater comigo sem sequer saber em que jogo está, e ainda achando que busco ofender, sem perceber que a própria conduta de vida deles é uma ofensa a eles próprios! As proprias catequizações academicas são ofensas a eles próprios! As próprias doutrinas são ofensas às vidas deles!
    Por conta disso, estou mostrando o que é na real o MAL, e com certeza não são nossas patéticas armas reivindicadas e muito menos eu e meus comentários rascantes e objetivos.
    Não me furto ao debate, mas debater com alienados e arrogantes ao ponto de acharem que podem me ensinar alguma coisa é algo insano, e mesmo assim dedico-lhes o respeito que eles próprios não se dão!
    Vão estudar, vão aprender a raciocinar (excluo os donos do blog e os poucos que vêm mostrando uma capacidade adaptativa resiliente que não deve nada a ninguém), pois o inimigo já está dentro das entranhas de todos de forma ginecológica, são TODOS os governos do mundo, vide o que é feito na terra da “liberdade” cantada em versos e prosa por holywood!
    Mais importante que estudar é raciocinar!
    É isso, agradeço a atenção
    Obrigado.

  • Vinicius C Oliveira

    A realidade é: todos os seres que estão vivos na terra são os mais adaptados pra matar.
    O erro do ser humano, em minha opinião, é achar que é diferente por qualquer motivo que seja. Porém, no final, a história nos prova que: Nós não só somos iguais, mas ainda melhores que os seres em geral na “arte” de matar e exterminar ameaças;
    Portanto, concordo com seu texto. Além disso, contribuo com um adendo: O homem não volta da guerra traumatizado por matar. Mas sim, por não sentir a repulsa, que é “demonstrada” pelos membros da sociedade sob tal ato.

  • Por essa e outras razões sou cristão católico, pois sou pacífico, mas não pacifista. Sou da paz, mas se atacado vou responder a mesma altura. O engraçado que muitos católicos não conhecem essa visão da igreja católica, que fica clara ao longo de séculos passados, e mais atualmente na guerra que ouve no México no século XX, conhecida como a guerra Cristeira, onde católicos além de serem proibidos de exercerem sua religião também sofreram duros ataques do Estado. Logicamente não deixaram barato e também lutaram pelo direito a liberdade religiosa, e obtiveram sucesso em muitas batalhas. Existe o filme no youtube Cristiada, ou Cristeros.

  • “Imagina se Vassili atirasse Pombas Brancas?”

  • Nos comentários acima, vi alguns citarem a bíblia, como um livro que ensina ser pacifico, como uma ovelha, porem essas partes são apenas as mais pregadas, pois quando vc le a bíblia do inicio vera que durante as guerras, dependendo do povo a ser combatido, a ordem era par matar todos, inclusive mulheres, crianças, velhos, animais… existe casos que mandava jogar sal na terra para que nada crescesse ali. Ou seja a biblia ensina as pessoas a ser boas, sim, porem ela ensina a maldade também, o problema é que hj o ‘politicamente correto’ não aceita que a verdade seja ensinada, pois ela liberta.

    Parabéns , ótimo texto Julho!
    ate

    • Isso aí!!!
      No começo era matar, roubar e destruir!!!
      Até recém nascido tinha que passar no fio da espada, só salvava as VIRGENS!!! (bobinhos eles!?)
      Depois de tudo conquistado a estória mudou, “vamos ser da paz, deixa disso, etc” pra amansar o gado, vide a terra das bananas (ou dos), aqui não precisa de guerra, é só chegar e levar o que quiser.
      Tendo uma novelinha pra distrair, um jornaleco nacional pro povo ficar indignado e depois um futebolzinho pra massa tomar uma cervejinha pra relaxar tá tudo de boa!

  • Verdade verdadeira nua e crua! Mas grande maioria prefere enfeitar a realidade…

  • ALEXANDRE MOURA

    O célebre provérbio em latim “Si vis pacem, para bellum” ou “se quer paz, prepare-se para a guerra” define no meu entender, a questão de estarmos devidamente preparados para situações ruins; é óbvio que a imensa maioria da população não deseja o conflito, porém aqueles que não possuírem nenhum tipo de preparação a nível mental e físico, serão os primeiros a tombarem. Hoje estão presentes em nossa sociedade a nível global diferentes tipos de ameaças cotidianas que a qualquer momento podem nos atingir, sejam através de violência, epidemias ou crises econômicas e políticas.
    Então resta nos prepararmos da melhor forma possível através da análise minuciosa dos possíveis cenários que ameaçariam nossa integridade, lembrando que nem tudo é possível prever, mas podemos sim minimizar ou reduzir muitos fatores de risco.

  • Filosofia e Sobrevivência

    Tema difícil … muito complexo… Entrando pelo viéis religioso, somos como cristãos ensinados a ser mansos, pacíficos… refleti muito sobre isto e verifiquei que na mensagem cristã está claro que devemos ser pacíficos, não passivos, ou seja, aquele que busca a paz deve sim estar preparado para defendê-la… Todos nós podemos em alguma situação sermos violentos, o problema é como e quando acionar este ‘gatilho de violência”. Criminosos têm este gatilho já no automático, nós cidadãos de bem, condicionados pela mídia a acreditar em pombos, camisetas brancas e marchas pela paz (lembrou de alguma instituição que é assim,,kkkkkk) , podemos ter dificuldade para acionar este gatinho e quando o conseguirmos já ser tarde demais…

  • Caro Julio,

    Umas semanas atrás estava pensando sobre esse tema e minha intenção era fazer um questionamento semelhante à esse para você, mas tratava-se sobre a empatia e como ela pode nos condenar a perder nossa batalha. Excelente texto e reflexão.

  • Caro Lobo, trupe e leitores, a frase que entendo mais ilustra essa questão pertence a Nietszch: Combates os monstros, cuidado, se tornará um deles. Enamoras o abismo, esse também se enamora de ti.

    O que é o mau, ou mal? É tudo aquilo que nos ameaça de alguma maneira, e como nossas medidas são EXCLUSIVAMENTE nossas, fica patente que o mal é “intipificável” na esfera coletiva, pois a coletividade embora consonante em vários aspectos é a idiossincrasia que determina a ameaça, a maldade. Polícias são sempre vistos como psicopatas, mas se perguntarmos para um polícia o que é o mal, nunca ele entenderá que é ele, será sempre o outro, e entendendo que para polícia ou vc é polícia ou é o outro, fica patente que para polícia tudo que não é polícia é mau!

    Sem o entendimento filosófico amplo essa questão é inabordável de forma efetiva!
    Uma vez li um texto de um Rimpoche, ele dizia: o extremo Shiva leva ao extremo Brahma, ou seja, o mal extremo gera o bem extremo!
    É sabido que SEMPRE após períodos de guerra a população fica MANSA e completamente submetível! Assim, no pós guerra nos idos da decada de 40 e 50, hollywood (uma organização criminosa de manipulação de massa) fazia filmes de musicais (eu pessoalmente não conheço nada mais babaca do que filmes onde um abobado do nada começa a cantar com ar enlevado), onde a lógica fugia completamente de cena, a tolice vaga ditava tudo!

    O futebol é uma emulação de combate? Não, não é, é emulação de estupro, tanto é que a rede significa o hímem, e o gol a defloração, e claro feito em coletividade (percebem porque esse paiséco abunda o estupro coletivo) de forma pederasta, todos se esbaldando com seus flúidos partilhados em agarramentos comemorativos ou agressivos!
    Já o futebol americano é guerra pura, o alvo é o solo inimigo em touchdowns e até estupros das mulheres adversárias de pernas para o alto e abertas, uma alusão de que fêmea aceita o mais forte, o alfa, e a nação estadunidense mostra isso em suas incessantes incursões belicistas genocidas!
    O resultado são povos com setups distintos, e isso é uma clara forma de conquista, é dividindo que se conquista!

    No brasil está sendo armada uma agenda de desmonte da nação e festivais “literários” de paraty (um centro de permissividade) alardeiam a ex consolesa francesa dizendo que o brasil é a nação mais racista do mundo e a MÍDIA SEMPRE CRIMINAL alardeia essa tolice e o povo já lobotomizado aplaude sem entender qual o esquema!
    Em uma nação mestiça falar de racismo é tão idiota quanto alguém defecar enquanto anda!
    Aqui o que existe é RECALQUE, INVEJA e sobretudo desejo de vingança dos mais alijados contra os favorecidos, apenas isso! Mas a europa, sobretudo a frança e Alemanha, onde estupros viraram regra, essa é a forma de desmonte racial, garantir lixos travestidos de “imigrantes” destruindo as nações (alguém viu algum imigrante sem tenis de grife, ou mulheres e seus filhos? Só em fotos emblemáticas de crianças afogadas exatamente para catalizar a aceitação do alienígena).
    O resultado disso é diáspora para a terra prometida, o reino de ofir, o brasil e resto da américa do sul!
    E para que isso emplaque é FUNDAMENTAL a agenda criminal das mídias alavancando cismas religiosos (vide os donos das mídias) e cismas raciais onde raças não mais existem.
    A meta é evidente, o desmonte do brasil em mini nações submetíveis de forma fácil.
    E para que isso ocorra é fundamental bolsonarizar, e por isso o MPF resolveu abrir o caso vladimir herzog, a forma mais eficaz de polarizar toda a militaria e simpáticos à ela, com isso se garante o segundo turno bolsonarizado, e naturalmente os lulistas, verdes, comunistas e sociualistas do outro lado, provavelmente a marina! E os neopentecostais dando o tom irracional preto e branco, criminalizando as mulheres com abortos e lesbianismos sendo aquilatadas aos mais abjetos seres que existem, os fecalopatas, entes tão doentes que afirmam que buraco de fezes é órgão sexual, sem observar que sexo é reprodução e se assim o é, se fecalismo é “genero” então fezes e gente são a mesma coisa!

    E a “in-justiça” criminal pegou uma menina de 15 anos para bode espiatório, criminalizando-a por um grupo de whatsapp que dizia para um fecalopata que ele era gay! Ela foi condenada a pagar 3 mil reais pela discriminação do fecalopata!
    Mas essa in-justiça não percebe que um fecalopata dizendo que seu imundo …u vale uma vagina é CRIME de ódio, um fecalopata dizer que ânus é órgão sexual é crime de ódio contra a humanidade, é crime de lesa pátria, crime de lesa humanidade!

    O texto está extremamente atual, ele é fundamental em vista do que está sendo urdido de forma abjeta pelos dominantes. Entretanto, estamos todos DESARMADOS e os poucos e privilegiados armados estão plotados, pois só consegue porte quem se ajoelha para a bandidada governante e dá todos os dados inclusive de PERFIL MENTAL!
    Ou seja, estão plotados e foram permitidos armados porque de alguma forma favorecem essa agenda!
    Enquanto o povo vê nos cidadãos mais desgraçados os inimigos, o estado criminal garante o desmonte em feudos de uma nação que tinha tudo para ser a melhor do mundo, com riquezas mil! Divide et impera!
    Os reais inimigos do povo são as governanças, mas graças às divisões sectárias (sinto na pele isso até aqui no blog sobrevivencialista) estamos caminhando para uma sangrenta guerra civil!
    Agradeçam às religiões e as mídias, e assim continuará a humanidade, se alguém pensa que inquisições de idades médias foram brutais, não percebem a realidade do mundo moderno!
    Se há alguma dúvida vejam o que foi feito com minha cidade natal, o RJ, matança de pobres em busca dos morros para as construções monegascas de elites diaspóricas da europa que fogem depois de destruir a europa em imigrações criminais e programadas!

    O maior inimigo é aquele que nós não vemos, o maior predador nunca é conhecido, pois sempre mata os alvos e não existem testemunhas de suas caças. Vide o gado que entra em caminhões de matadoros achando que estao indo até para o céu!
    Vcs acham que se um boi só voltasse, os gados seriam mansos?
    I dont think so!
    Agradeço a atenção
    Obrigado!

    • Vapera,

      Tenho lido alguns comentários seus aqui no portal e confesso que cheguei a uma conclusão simples: Sou incapaz de entendê-lo. Talvez por falta de contexto, talvez por falta de capacidade cognitiva, mas o mais provável é por temos valores completamente diferentes.

      Creio que estejamos no caso clássico de soldados que lutam pela mesma guerra, mas por motivos diferentes. Você sempre será bem vindo aqui, mas deixo claro – especialmente para outros leitores – de que não concordo com grande parte de suas afirmações.

      Um grande abraço.

      • Vlamir Bueno

        Prolixidade, simples assim.

      • Caro Lobo, eu sei que nem sempre concorda com o que coloco, mas sei também que é bem mais novo do que eu, e naturalmente tem menos vivência! Eu nasci em cidade grande e vivi em cidades grandes a maioria de minha vida, minha noção de sobrevivencialismo é do tempo que subir a pedra a gávea era aventura, o pico do papagaio era mato puro (e eu subia) e não rampa de asa delta, a Urca tinha o mar limpo e claro, e Ipanema nem o sistema de esgoto submarino tinha! Ou seja, eu acompanho a saga maldita dessa nação em direção à degeneração há mais tempo que vc e naturalmente tive a oportunidade de triangular fatos que desconhece ou conhece apenas em dados históricos.
        A internet conheci desde o início e morando na capital republicana fui um dos “pioneiros” nesse meio, sou do tempo das BBSs, e a imensa maioria dos dados cruciais que havia na inetrnet FORAM deletados, o geocities tinha muita informação que as elites dominantes subrairam ao longo do processo de implementação popular, o DOS era o sistema operacional e permitia que nós fossemos os maestros digitais, e veja que comecei no coboll basic, fortran, coisa quase rupestre hoje em dia, computadores que comecei forma cobras 500, eram a manivela ( sic 😀 ).
        Porque coloquei tudo isso, porque aprecio seu trabalho e de sua trupe, e aprovo em sua grande maioria, entretanto muito do que coloca carece de esperienciação, e pçor isso fica “superficial” para quem já viu que o buraco é basurdamente mais embaixo!

        O que vem acontecendo ao longo dos anos não é perceptível para quem está no turbilhão e vc e trupe estão no turbilhão e dentro do rio no turbilhão é impossível mavaliar o que está na margem e por conta disso, eu que estou olhando “de fora”, da margem, tento mostrar onde está a pedra ou a ressurgência, busco mostrar onde é possível passar com menos perigo. Só que o turbilhão está muito bruto (rio nível 6) e tomando caldo e água no rosto o tempo todo é dífícil para ti me ouvir, mas não te falta interesse em melhorar e por isso em sua dificuldade busca entender mesmo debaixo do barulho e do aguaceiro.

        Você é da época de xuxa e não tem como perceber que ela só existiu por conta de uma agenda pedófila criminal, a “turma da boquinha da garrafa” foi inspirada pela xuxa, a própria carla perez falou isso em uma entrevista!

        Assim, vcs nasceram no epicentro do caos e em seu entendimento há normalidade no caos, pois é seu “solo de vivencia”. Já eu nasci em época que caos era pederasta, mas os mais velhos que eu (avós meus) entendiam o anticoncepcional caos, e é, toda a pederastia sistêmica que hoje é “normalidade” começou naquela época em que nasci, em festivais de woodstock que preconizavam o tal amor livre, e a consequencia foi o tal “amor livre” e o resultado disso foi sexo sem seleção, sexo com qualquer um! Só que sexo é a forma de nascermos e se for feito de forma desseletiva DEGENERA, e hoje a “umanidade é degeneração. Vcs são alguns dos últimos bastiões de algo ainda válido de defender, o resto é degeneração, vide os rasos e e estúpidos comentários que recebo, os infelizes sequer conseguem concatenar A+B!

        E só respondo a essas bestialidades por conta de meu interesse em fornecer informação pertinente aos outros, os como vc, os que entendo ainda com chances de escapar da bagaceira que se avizinha!

        Li a coleção de freud com 15 anos, li lacan, li Jung (se ler Jung irá entender a maioria das coisas que falo, mas não os livros bombados, mas os textos escondidos, velados), li inclusive o sobrinho de freud em minha opinião um completo monstro, o “pai” da propaganda, assim entendo a sua formação de forma bem ampla, aliás, talvez o mais sensacional livro na área psicanalítica seja “O Corpo Fala” de Pierre Weill e Tompakow, livro fascinante!

        Não espero que entenda tudo o que digo, mas é exatamente como vc comentou em um de meus primeiros posts, vc percebeu que não escrevo frivolidades do tipo “nossa que legal seu texto” ou ” Lobo vc é demais e eu sempre leio seus posts” ou outro comentário vago que abundam não só aqui mas em todo o mundo internético! Vc PENSA, pode até pensar “distorcido” (entenda que isso é minha medida e não a sua), mas pensa e é isso o que importa, é o pensar que consegue se ajustar, a lapidação de seu intelecto vem com o tempo!
        Tenho mais de 3 mil livros nas costas, sempre fui leitor compulsivo, e tenho memória fotográfica, e dessa forma tenho uma bagagem bastante consistente para análise. Fica evidente que entender o que eu falo não é trabalho para um dia, um mês ou um ano, é trabalho de uma vida, até porque não sou um personagem comum, só para entender eu desenho qualquer invento já feito pelo ser humano em alguns segundos, sempre fui visto como algo fora do normal, esculpo, desenho e invento qualquer coisa, e toda essa bagagem me permite ir aos píncaros da bizarrice para o entendimento comum.
        E mesmo com esse “potencial” eu era um completo alienado no que concerne o jogo do mundo, eu pensava como vc, era pragmático e entendia até que superinteressante (mais antigas são a enciclopedia bloch e outras publicações) era algo pertinente, hoje sei que é LIXO inculcado na cabeça da galera para idiotizar a massa! Sempre fui esportista, e mesmo tendo mergulhado no mundo das drogas em minha adolescência sempre dei prioridade ao exercício, a alimentação vegetariana, saudável na medida do possível, e o mais importante conheci os livros mágicos de Carlos Castañeda, os livros que rebootaram meu existir!
        Com tudo isso os outros envelheceram e eu não, e com isso comecei a perceber que havia algo de podre no reino da Dinamarca e graças à antiga internet, que não existe mais, consegui acesso a livros que mudaram meu setup, e o mais importante livro foi “As conspirações do sec XX” de Jam Van Helzing (pseudônimo).
        Resumindo, hoje prefiro a morte a ser tocado por um médico, um dentista ou um polícia ou qualquer agente do estado, sei que todos eles são criminosos mesmo que não saibam, ou seja se resolverem me prender terão que me matar ou vão morrer, dessa forma tive que me fortalecer ao limite e esse fortalecimento não se faz em academia, se faz nos atos do dia a dia.

        Como disse não tem como vc entender tudo o que falo, mas é inteligente o suficiente para respeitar minhas colocações mesmo que as condenando ou não entendendo, e isso para mim é suficiente!

        Em respeito ao seu respeito com que me trata deixo uma para te garantir algo que extrapola o entendimento comum:
        A Terra não tem como ser o modelo que o status quo estabelece, uma fina camada rochosa e uma massa absurda com mais de 1000 graus (média de uns 3000 a 4000 graus), pois temperatura é diretamente proporcional à massa e inversamente proporcional ao volume em uma dada quantidade de matéria. para confirmar coloque uma bilha (grande) no fogo, deixe ficar vermelha (uns 800 a 1000 graus) e depois recubra ela com açucar (carbono), o açucar vai derreter e se fixar a bilha, e veja se é possível tocar nela! Não é!
        Outra: pegue uma panela de barro com 11 litros (um eptalhão do volume terrestre) e encha de chumbo derretido e veja se é possível tocar nela. Não é! E olha que a parede da panela é mais de 20 vezes mais espessa proporcionalmente que a da terra e o chumbo derretido “só” tem 372 graus até 1500, ou seja é bem mais baixa temperatura que o alegado magma terrestre!

        Por que coloquei essas coisas? Para que entenda que somos todos enganados o tempo todo, a Terra é oca, pois toda massa heterogênea aquecida borbulha, cada elemente tem uma diferente temperatura de fusão e ebulição, e expandem gasosos em diferentes tempos, logo uma bola de magma no espaço sem pressão externa se expande até congelar (aquilo que disse de volume inverso a temp) no espaço frio (próximo a zero graus -273,13 graus celsio)!

        Assim fica a pergunta: por que mentem sobre a realidade terrestre?
        Porque existe algo no interior que os dominantes querem manter oculto. da mesma forma que não permitem carro popular diesel ou 4×4 no Brasil, para manter oculto essa terra imensamente rica e cheia de oportunidades.

        Pense sobre isso e se há alguma dúvida com relaçao às minhas colocações não se furte a perguntar, terei o maior prazer em te explicar!
        Agradeçoa atenção e o respeito a mim dado.

        Muito obrigado

        Um grande abraço

      • Caro Lobo, coloco aqui um vídeo que seria interessante ser assistido, é em cima do que colocou, é uma análise bem diferente do “politicamente correto” e ao mesmo tempo dos antipoliticamente correto.

    • Vinicius C Oliveira

      Se me permite dizer… O senhor se assemelha muito aos sofistas e “políticos” de hoje. Não fez verdadeira e congruente reflexão sobre o assunto.
      Irei demonstrar o que eu disse:
      Começou por uma citação simples e fora de contexto de Friedrich Nietzsche, dando confiabilidade aos argumentos, porém todos estes sem acréscimo para a pauta discutida no texto. Pauta essa que é sobre a realidade do bem (quando referente a ação e para quem é dirigida) / bom (sujeito que faz a ação ou toma a dianteira perante a reação) e mal (idem)/ mau (idem). Depois seguiu para uma citação de outro autor;
      Este fala simples e pragmaticamente sobre o “equilíbrio de forças” do principio de ação e reação, quando ativado em sentido da vida, ou seja, surgimento de altos e baixos mediante situações;
      Até aqui, apesar de ser inconclusivo e incongruente para com a pauta original, ainda é possível a retirada de belas citações.
      A partir da ultima citação, o senhor foge completamente do contexto inicial. Fazendo com que o ser humano, sem embasamento algum, esteja criando analogias sexuais e “essenciais” em tudo o que toca. Por exemplo:
      Foi citado o futebol como um meio de simular o estupro. Porém os únicos animais para os quais o estupro é algo “normal” (ao menos animais que eu conheço) são os golfinhos. Todos os outros animais que vivem em sociedade repudiam o estupro, inclusive o ser humano.
      Infelizmente, não tenho tempo para continuar a citar sofismas os quais o senhor cometeu. Porém, já que fez tantas citações, irei fazer uma, especificadamente sobre dialética.
      ~Como vencer um debate sem precisar ter razão, Arthur Schopenhauer.
      P.S: Leve tudo isso como uma critica construtiva. De alguém que faz filosofia e dialética da maneira antiga. (Lendo e pensando)

      • Caro Vinicius, se não consegue perceber as questões em esfera epistemológica, mais valeria não se manifestar, não disse nada que fosse uma análise abrangente da proposta, fez apenas uma manifestação formatada, algo que é pertinente aos filósofos de botecos e pessoas comuns no geral, mas não adentrou a questão em sua proposta fulcral, pois não é capaz de entender, mesmo se crendo filósofo e creio que não adianta eu tentar te fazer entender, pois o entendimento é diretamente proporcional à nossa POTÊNCIA, à nossa força, e quando falo isso falo de forma epistemológica, a força não é o que pensa, é algo que desconhece e por isso se manifestou cheio de erudição vais a como bem alardeou, dialética. Com sofismas tentou abarcar silogismos e isso não é possivel.
        Minha sugestão é YOGA, exercícios respiratórios e alimentação frugal, limpa, sem as “parafernálias” gustativas, pois os que precisam alimentar o paladar não tem tempo para pensar pois são sempre acometidos pela leucocitose prandial, ficam febris e dispendioso em seus metabolismos, e isso é fato independente de sua crença (filosofia é crença e não razão, salvo os socráticos, ou melhor dizendo os platônicos visto que ele foi o porta voz de Sócrates para a “bosteridade”!
        Suas medidas são as de outros ao ponto de acreditar em estupros de golfinhos mas desconsiderar o estupro de deus, o ser que estuprou Maria para fazer o “salvador”!
        E por favor não venha dizendo que Maria consentiu, afinal todo estuprador alega isso e Maria não ficou para contar a história, mas deus escreveu em seu livro de leis, a versão dele e não dela!
        Como vê, o abismo que nos separa não pode ser transposto em debates, seria o mesmo que um Miamoto Musashi ser desafiado por um lutador de academia, o resultado sempre será um só, a derrota do acadêmico!
        Se fosse forte faria a filosofia por si só, e não precisaria dos outros e medidas desses para debates, eu não sou “fazedor” de curso filosóficos, faço eu minha filosofia e posso afirmar que entende-la não é questão de academicismo, mas sim de potência.

        O pensador não tem como fazer uma escada para descer aos menos pensantes, esses terão que por si mesmos fazer a escada para alcançar aonde o pensador está!
        É a mesma questão da criança, ela deseja saber o que está na estante, o adulto a levanta, mas mesmo assim ele continuará sem entender o que são livros, até que tenha tamanho para retirar esses livros com a própria força!
        Por favor entenda essa minha missiva como uma maneira de te permitir ir aonde estou!
        Leia Carlos Castañeda, pois em meu entendimento essa é a única leitura que te dará suporte para debater, e isso não é certo, pois terá que fazer o que ele fez, ou será apenas mais um livro para papo de boteco!
        Agradeço a atenção
        Obrigado

    • Vinicius C Oliveira

      Então no todo se defendeu de ser chamado de sofista. Como previsto… Porém é patética a comparação de ti para com a minha pessoa. Digo isso, pois apenas utilizou de ofensa moral e alto divagações vazias. Seu erro me comparando contigo não esta na comparação, mas sim em achar reciprocidade nessa relação. Provo isso pois em momento algum dirigi criticas ao senhor, porém sim ao seu texto.
      Agora já que as ofensas foram morais e dirigidas a minha pessoa, irei me defender.
      Minha defesa começa pelo fato de não ter uma crença especifica. Anulando sua afirmação sobre “minhas certezas”. Então rapidamente explicarei o por que de eu não possuir uma “crença especifica”. Começando pelo simples fato da “maleabilidade” psicológica e intelectual que isso me dispõe. Essa teoria foi adaptada por mim justamente pelo conhecimento sobre Musashi adquirido pelo tempo. Musachi usava a técnica de duas espadas. Mas era “mestre” na técnica de uma tanto quanto. Evidenciando ser o melhor, na verdade, em surpreender seus adversários.
      Criarei uma ponte agora sob Musashi e Socrátes. (Sim, o mesmo que foi criticado pelo senhor)
      A ponte criada vem da atitude de admitir o desconhecido. Musashi não sabia qual tática seu oponente usaria. Porém, treinou infindavelmente sua técnica, visando não vencer o inimigo, mas tornar-se melhor.
      Socrátes, não era o mais sábio, por em si saber de tudo além dos outros. Mas sim por admitir que tinha sabedoria insuficientemente grande perante áreas em que outros dominavam. Ou seja, ele fazia o que todos não: era humilde perante a informação que os mestres no assunto lhe dispunham. Ele sabia não saber mais que os que mais sabem.

      • Caro Vinicius, de novo nada entendeu, de forma alguma ofendi sua pessoa, apenas te entendi FRACO, pois foi fraca a sua argumentação, até de golfinho estuprador falou, sem perceber que só um imbecil concluí isso em uma pesquisa científica, ou seja, usou de burrices arrogantes alheias para argumentar! Isso foi o mesmo que o personagem que diz que viadagem (buscar fuçar com ânus só demonstra DOENÇA GRAVE, mais nada) existe na natureza alegando que filmaram leão tomando na tarraqueta! Sequer observa todas as variantes da questão, algo vago, compartimentado e FRACO.
        Mais uma vez lhe transmitirei informação determinante para sua evolução, é um texto muito sábio de um xamã (Dom Miguel Ruiz): Não eleve nada para o lado pessoal – Não tire conclusões- Seja impecável com sua palavra – Sempre dê o melhor de si.
        Com essas quatro propostas não teria concluído que estou te ofendendo, teria tentando entender o que falo.
        Repito, não tenho suas medidas, e para ter as minhas terá que sair do colo de seu “adulto” academicismo, e acessar a estante por si só.
        Espero agora ter sido claro o suficiente para ti.
        Mais uma vez, se só consegue entender as coisas de forma compartimentada, sem a multidisciplinaridade necessária, é perda de tempo tentar manter uma conversa comigo, eu não debato compartimentação, isso fica bonito em boteco ou botecos mais finos como restaurantes e até instituições “educacionais”! Eu não bebo, assim não me aproximo de botecos, sou vegetariano, só como o alimento que eu preparo, pois para mim alimento é SAGRADO, eu não frequento instituições de ensino, pois entendo o saber descompartimentado, ou seja, na vida real eu não te daria papo, não frequento onde frequenta, não como o que come, e sequer pode compreender o que é minha vida!

        De onde tirou que critiquei Sócrates?????

        Te sugeri Castañeda, pois se entender Castañeda me tornarei um livro aberto para ti e não precisará sequer ler o que escrevo, já saberá de antemão o que quero dizer.
        Para que tenha um melhor approach do que abordo te sugiro achar sua mão em seus sonhos, em sonho se lembre do que aqui te digo e e pense, aquela ser me disse para a achar minha mão aqui no sonho e ao olhar para sua mão catalizará algo que não há nenhuma forma de abarcar enquanto desconhecedor dessa manobra. Não estou falanbdo de projeciologia, estou falando de algo mágico e não compartimentado.
        Se crê que te ofendi peço-lhe desculpas por nada, pois de forma alguma pretendi te ofender.
        Com relação ao Musashi também não entendeu a proposta dele, que tampouco era de combate.
        Faça Yoga, ela fará sua respiração aguda em uma esfera que nada disso que aqui está acontecendo acontecerá. O oxigênio é o alimento quase maior, o prana é o maior alimento. Mas não existe prana abundante sem respiração profunda.

        De forma alguma te compararia comigo, minha medida é minha medida e apenas isso.
        Mas se falamos linguas diferentes, e falamos, não adianta tentar a comunicação sem sequer entender o rudimento da outra língua, de sua língua sou escolado, afinal passei por escolas, tive família, grupo social, fui um comum (não tanto) e dessa forma sei o alcance das medidas sociais, já o contrário não acontece, tanto é que me respondeu sem sequer entender do que falo.

        É isso Vinicius, para entender o que falo é fundamental uma filosofia mínima, aquela que diz:
        a verdade SEMPRE tem no MÍNIMO TRÊS versões, a minha, a sua e o fato em si.

        Se não tem essa filosofia como base, em minha opinião (minha medida) não tem nenhuma.

      • Errata:
        NÃO LEVE NADA PARA O LADO PESSOAL – Quando você está imune às opiniões e ações dos outros, não é vítima de sofrimento desnecessário.

        Acréscimo: são textos (compromissos) que facilitarão muito a comunicação em qualquer esfera

        NÃO TIRE CONCLUSÕES – Comunique-se com os outros com clareza, sem dramas ou mal-entendidos. Só com esse compromisso, você já pode transformar completamente a sua vida.

        SEMPRE DÊ O MELHOR DE SI – Em quaisquer circunstâncias, faça sempre o melhor que puder e você evitará auto-sofrimento e arrependimento.

        SEJA IMPECÁVEL COM SUA PALAVRA – Diga apenas aquilo em que acredita, use o poder da sua palavra na direção da verdade e do amor.

        Essas sim, são filosofias que nos ajudam a conduzir uma vida profícua.
        São frases do Livro “Os quatro compromissos” de Dom Miguel Ruiz.
        Não é livro de auto ajuda, é livro de conduta social, moral, ética e intelectual.
        Agradeço a atenção
        Obrigado

  • Não existe bem ou mal, o bem do leão é o mal da gazela, a paz só vem pela guerra!

    • Exatamente!
      Como brilhantemente mostrou, o cinza da gasela não é o cinza do leão!
      E tampouco o preto e branco de ambos coadunam!

  • Prezado Júlio,

    Tenho comigo que os atos de violência, quando bem direcionados a uma finalidade correta, não anulam a bondade que somos educados a ter. Antes, a violência protege a bondade quando é necessário. O conceito de violência que utilizo neste breve comentário é a ação de repelir com agressividade física ou psicológica um agressor ou agressores que intentam contra a minha (e a dos outros) integridade física, psiquica, assim como, os bens patrimoniais. Deste modo, afasta-se a ideia de uso da violência com intuito maldoso.

    A regra moral geral sempre é o amor ao próximo e todos as virtudes decorrentes desta premissa. Entretanto, a partir da premissa citada, decorre a existência da virtude da justiça. Ela fundamenta a legítima defesa. É uma ato de preservação da justiça individual e coletiva, me defender ( e os outros também) quando cabível nas circunstâncias.

    Neste sentido, o ato de violência aplicado para a preservação da justiça implica, justamente, na proteção e manutenção de tudo aquilo de bom que nos tornamos e construímos ao longo dos anos de vida. Acredito que ter este normativo moral na mente, facilita a defesa e aplicação da violência contra agressores.

    Um grande abraço,

    Adriano

  • Espero nunca precisar ser mal, porque se precisar eu serei. Excelente artigo Júlio.

  • Vlamir Bueno

    Dentro de todo ser humano existem 2 feras, uma má e outra boa, e prevalecerá a que você alimentar. Queira ser bom, mas prepare-se para mostrar o inferno a quem lhe fizer mal. Temos a necessidade de sermos mal. Vejam crianças assistindo desenhos e jogando “Pokémon”, a versão infantil das rinhas de galo ou cães. Como não é “politicamente correto” colocarmos esses animais pra brigarem, criamos seres pra fazê-lo, e pra quê??? Qual o objetivo a ser alcançado com essas batalhas??? Temos que criar jogos de video games com ETs para matarmos, ou de combates a terroristas, ou de guerra, classificando os inimigos como seres cruéis e que devemos exterminá-los. Sim, amigos, o mal existe dentro de nós, crianças, adolescentes adultos e idosos, e precisamos deixar que eles tomem conta de algumas de nossas ações, de preferência, de forma controlada, seja através da caça, das lutas que praticamos e/ou assistimos, do tiro, dos games, dos filmes etc. Pra terminar: “Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada” Edmund Burke.

    • Mandou muito bem Vlamir!!!
      Só lembro que o deus dos perdedores é o demônio dos vencedores e vice e versa!
      Um ditado africano diz o seguinte: enquanto os leões não tiverem historiadores, os caçadores continuaram sendo os heróis!
      Afinal quem conta a história é sempre o vencedor!

  • Claudinei Costaldi

    pra proteger meu filho e quem eu amo faço o que tem que ser feito sem remorso

  • Cayo Vinicius

    Excelente texto, eu desde muito tempo sempre pensei da seguinte maneira: se alguém me apontar uma arma e eu apontar também, eu atiro primeiro, simples assim. Sempre pratiquei artes marciais pra estar preparado pra aqueles q tentarem me fazer mal, mas me preparei pra brigar, hoje minha visão mudou muito, quem tenta me agredir não é mais oponente e sim um agressor e como tal não merece a chance de me tocar, aprimore minhas habilidades para além de um simples combate com socos e chutes. Continue com o excelente trabalho.

  • carlossilvapb

    Tema muito complicado este!
    Mas, vou descrever uma situação que aconteceu comigo e como nós temos um verniz de civilidade que se descasca muito fácil. E o que tem por baixo é muito, muito assustador.
    Um dia desses, fui buscar meu filho na escola, e parei o carro num estacionamento de uma dessas galerias que usam a calçada como seus estacionamentos particulares. Quando atravessei a rua, o segurança do local me chamou, de uma forma pouquíssimo amistosa, me dizendo que eu não podia parar ali se não fosse a tal galeria. Eu, que já estava estressado, por causa de diversos problemas que estava enfrentando, fiquei com mais raiva ainda, mas ignorei. Peguei o meu filho e quando voltei para o carro, lá estava o sujeito encostado nele .O cara me disse:

    – Você é muito folgado, seu p…!

    Sem pensar em nada, sem lembrar que meu filho de 6 anos estava comigo, parti para cima do cara, de uma forma que ele não esperava, e bati. Bati, Bati e bati muito. Só parei porque outras pessoas, inclusive pais de alunos vieram e me seguraram.
    A primeira coisa que vi depois disso foi meu filho chorando e tremendo, me perguntando porque eu tinha feito aquilo.
    Eu me considero uma pessoa extremamente calma. Mas um conjunto de situações se acumularam e me levaram a agir de uma forma impensada e extremamente violenta. Ainda bem que o pobre do segurança só ficou com alguns hematomas, porque bati sobretudo na testa dele. Não quebrou nada, Eu fiquei algumas semanas com a mão imobilizada.
    Agora, sabe o que foi mais assustador? Quando eu batia no cara, eu sentia um prazer insano.
    Aí, fico imaginando o que somos capazes de fazer em situações de crise… Imagine uma situação de colapso, sem lei, sem ordem. Tenho medo só de pensar…
    Outra coisa assustadora é que, tirando uma ou outra briguinha na escola, no começo dos anos 90, eu nunca tinha brigado usando os punhos…
    Como eu disse: O verniz de civilidade é uma camadinha muito fina, que facilmente se descasca…

  • Este é o tipo de tema que podemos discutir por anos, mas a verdade de como agiremos só aparecerá no olho do inimigo.
    De qualquer forma vou deixar minha contribuição. Acredito que o segundo e terceiro apontamento do texto permite construir uma situação imaginária, onde eu poderia mergulhar minha mente para conseguir fazer qualquer coisa a qualquer pessoa.
    Imagine você Júlio Lobo e qualquer um que leia este comentário, que você está em um local e alguém ali quer lhe “fazer mal” . Então chega o momento crítico onde é você ou ele, neste momento você pode usar de dois artifícios para conseguir “fazer mal”.
    1. Use todas as horas de experiência em jogos de tiro, paintball, airsoft, estande de tiro e qualquer outra experiência, dessa forma tentando despesonificar o indivíduo e neutralize ele da forma mais eficaz e eficiente possível.
    2. Olhe para dentro de si mesmo e acredite do fundo da sua alma que aquele indivíduo fez as piores coisas que você consegue imaginar com o seu bebê e sua esposa. Pronta dessa forma você conseguirá fazer coisas que espantaria até o demônio.

    Muito obrigado por tudo Júlio, Ébano e equipe sobrevivencialismo!

  • Marlize Carpes

    Um assunto complicado!! Tive uma infância interessante, minha mãe é a melhor e a “pior” mãe do mundo!! Minha irmã e eu apanhamos muito, muito mesmo, minha irmã mais que eu!! Na escola ela foi uma aluna exemplar, eu um demônio… Batia em todo mundo, fui expulsa de duas escolas… Sempre no meio galera do mal, sempre tramando alguma maldade!!! Quem me conhece hoje não acredita nisso, mas é verdade!!! Acredito que como o ato de bondade, a maldade também é questão de oportunidade… Quem nunca usou a frase “sou bonzinho, mas pisa no meu calo!” Isso vai render muita conversa!!! Claro que o assunto vai muito além de uma briga na escola!!! Mas a essência de fazer o mal, vem de pequenos delitos!!

  • Alessandro Samuel

    Quando alguém tenta te machucar ele não é mais uma pessoa, é aquele que não liga para sua vida, portanto, não é errado sentir a mesma coisa. Devemos odiar os inimigos, não depender da vontade deles para viver.
    Obrigado pelo seu trabalho Júlio, abraços

  • concordo com tudo que você disse.

  • Vlamir Bueno

    “Tenho uma grande arte: eu firo duramente aqueles que me ferem”. Arquíloco de Paros (séc. VII a.C.)

  • Edinaldo Ribeiro

    Excelente artigo!!! Me fez refletir muito e tirou muitas duvidas que tinha. Abraço!

  • Para sobreviver você deve ser feito para matar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s