Estão os EUA e Rússia se preparando para a guerra? Hacks, testes de mísseis e ameaças.

O jornalista russo Dmitry Kiselyov, que foi nomeado como diretor da agência de notícias governamentais da Rússia ameaçou os EUA esta semana dizendo que as ações que eles estão tomando contra a Rússia poderia ter implicações “nucleares”.

“Existe uma conversa barulhenta em Washington de um tal ‘Plano B’ na Síria. Todos nós entendemos o que isso significa: Direcionamento de força militar”, disse ele na edição de segunda feira do programa Vesti Nedeli (Notícias da semana).

 

Durante esse mesmo programa o ministro de defesa da Rússia também avisou aos bombardeiros americanos para não atacarem o exército sírio.

“Nós vamos derrubar eles” comentou Kiselyov.

Guerra fria do Obama?

obamaputin

As relações entre a Rússia e os EUA atingiram o nível de Guerra Fria desde que a administração do Obama têm colocado tensões em múltiplas áreas de relacionamento.

Mais cedo nesta semana os EUA suspenderam a comunicação com a Rússia depois que o país quebrou o acordo de trégua. Na sexta feira, John Kerry, secretário de defesa americano, acusou a Rússia de ter cometido crimes de guerra quando atacaram um comboio humanitário perto da cidade de Aleppo, na Síria. O comitê internacional da Cruz Vermelha disse que 20 civis foram mortos e 18 veículos foram destruídos.

Hoje o presidente Russo Vladimir Putin afirmou que o ataque foi conduzido por grupos terroristas que atuam na área.

“Foi um dos grupos terroristas. Nós e os americanos sabemos disso, mas eles preferem tomar posições diferentes para acusar falsamente a Rússia. Isso não está ajudando” Putin disse no fórum econômico de Moscow.

 

No sábado, a Russia vetou uma moção que visava interromper os bombardeios em Aleppo. No mesmo dia a Russia confirmou que começou a mover seus mísseis nucleares Iskander-M para Kaliningrado, algo que a Polônia afirmou ser um “ato que causa grande preocupação”.

Hoje mais cedo o secretário de estado John Kerry ameaçou retaliar a Rússia, citando de maneira não embasada que a Russia está tentando hackear as bases de dados da eleição americana para influenciar os resultados da mesma.

Nós soltamos essa informação para que eles percebessem que não estão conseguindo “se safar de fininho”, além de que deixa claro que estamos falando sério e que vamos tomar todas as medidas necessárias para garantir a integridade de nossas eleições” Kerry disse segunda feira na Conferência da Associação do Ciclo Virtuoso da Internet. “E nós poderemos e vamos responder de maneiras que julgarmos necessárias.”

A ameaça surge dias depois da administração do Obama ameaçar levantar denúncias contra os Russos e a campanha de Donald Trump, afirmando que a Russia efetuou uma série de hacks políticos, incluindo como alvo o Comitê Democrático Nacional e o Comitê de campanha Democrática Congressista.

A administração de Obama parou com as acusações sobre os ataques às bases de dados da eleição, porém as campanhas de Donald Trump e Hillary Clinton estão mantendo a percepção de que os russos estão por trás destes supostos ataques.

Mais cedo este ano o Departamento de Segurança Nacional fez denúncias semelhantes, dizendo que a ameaça russa era tão grande que eles poderiam ter de tomar controle sobre o processo de eleição. O Departamento afirma que as eleições são parte da “infraestrutura crítica”, dando a eles o mesmo controle que possuem sobre o mercado de ações e a rede elétrica..

“ Nós devemos considerar com muito cuidado se o nosso sistema de eleições faz parte da infraestrutura crítica como o setor financeiro e o elétrico” Diz o secretário Jeh Johnson.

“Existe um interesse vital em nosso processo de eleições, então eu acredito que temos de considerar se ele não faz parte da responsabilidade do nosso departamento”, disse ele em uma conferência pública mais cedo este mês.

Russia testa mísseis balísticos enquanto as tensões com o Ocidente alcançam níveis críticos

russias-300

As forças russas conduzira uma série de testes com mísseis balísticos intercontinentais nesta quarta-feira, disparando um foguete com capacidade nuclear de um navio no mar de Okhotsk no norte do Japão. Um outro míssel “Topol” foi disparado de um submarino no mar de Barents e um terceiro em uma base em terra firme no nordeste do país russo, agências reportaram.

Estes testes surgiram conforme a Rússia está criando maior presença militar no mediterrâneo e nas regiões bálticas.

A Rússia recentemente enviou mísseis antiaéreos S-300 para a síria e também três navios armados com mísseis cruzadores Malakhit da frota do Mar Vermelho para o Mar Mediterrâneo.

Em uma entrevista com o jornal alemão Bild, o Ministro alemão de relações internacionais Frand-Walker Steinmeir afirmou que as tensões entre os EUA e a Rússia estão tão altas que a situação da política global está “mais perigosa” do que durante a Guerra Fria.

Texto traduzido e adaptado do site OffGrid Survival.

Anúncios

27 Comentários

  • Época de eleições americanas:apenas querem mexer com a opinião pública!
    Só acho engraçado que EUA e Rússia sempre de rusga e a China só assistindo…

  • Em tempos de transição nas esferas das relações de poder da comunidade internacional, com China ocupando papel mais “central” é de se esperar atritos. E é de se desejar líderes mundiais que saibam dialogar. Sem dúvida riscos reais e sérios existem nesta transição/mudança na arena geopolítica. Além do mais, o século XXI está apenas começando, será algo muito improvável não haver conflitos que atinjam todos os povos ainda neste século. Seja por questões tecnológicas (hackers etc), ambientais, de migrações, religiosas (radicalismos) e ideológicas, políticas etc. Além do mais, sociedades complexas, cada vez mais dependentes e interdependentes em seu funcionamento (seja via engenharia/arquitetura de funcionamento da internet, rede financeira/bancária, elétrica, e de crises de representatividade – motivos das manifestações)… e blavbla bla bla temos sorte no fim das contas.

  • Nesse exato momento tropas russuas se movimentam, tropas americanas fazem merda e a midia só mostra o que é conveniente. Mas conveniente pra quem?
    Quando essa noticias começaram a sair fiquei bastante assustado a principio, as perspectivas de futuro pareciam ter dado lugar a pensamentos de uma possivel morte por decisão alheia. E os meus sonhos? Meus planos pro futuro? Tudo deixa de existir diante de um possivel conflito dessa proporção.
    Precisamos ter participação nisso tudo, só que sem informação fica difícil!
    O site em português que eu encontrei com o maior numero de informações foi o “sPutnik news”, que e próprio nome diz a fonte. Mas e a fonte ocidental?
    Talvez, agora que a BBC resolveu falar sobre isso, a midia possa nos trazer mais informações nos próximos dias.
    E se esse conflito for adiante, os brasileiros poderiam se envolver? Acredito na possibilidade, mas deixem sua opinião ai!

    • Chance zero. Não há conflito algum. Há uma questão localizada na Síria. Isso é geopolítica. Acontece coisa pior nas coréias, Vietnan, Afeganistão…..

      • E a crise dos mísseis em Cuba

      • Pois é….e nem assim a coisa descambou para a guerra….

  • Apesar da fonte ser a OffGrid Survival.com, é um artigo muito ruim e extremamente tendencioso.

    Quem quebrou a trégua foi a Força Aérea Americana a matar 82 soldados sírios em um bombardeiro nas proximidades de Deir el-Zour, e o mais estranho, em seguida houve uma ofensiva do DAESH (vulgo Estado Islâmico) naquela posição. A acusação do bombardeiro por parte da Força Russa da ajuda humanitária é no minimo questionável (o mais provável foi fogo de artilharia, e existiam drones americanos armados operando na região naquele momento).

    Russia também propôs uma moção no conselho de segurança da ONU, que colocava para a EUA separar quem é “Oposição Moderada” e quem são os “Grupos Terroristas”. EUA, França e Ucrânia vetaram. Hoje os EUA estão apoiando a mesma Al QAEDA que combateram no Afeganistão (e que foram responsáveis pelo 11/11/2001), que está operando atualmente na Siría com o nome de Jabhat Fateh al-Sham.

    Não existem bandidos ou heróis, nessa história (muito menos ligar a Russia de hoje a antiga União Soviética nessa onda de Petralhas e Coxinhas que vivemos em nosso país). Existem players em jogadas complexas de geopolítica. Cada qual defendendo seus interesses, o que parece que Militares e Diplomatas russos estão se saindo melhores (olhe a Turquia que derrubou um avião russo, e parece que a Russia salvou a Turquia de um golpe de estado há 3 meses), visto que os seus parceiros ocidentais tiveram 25 anos de hegemonia sem ninguém que os desafiarem como hoje, mas talvez até seja uma espécie de cilada ocidental toda essa confusão.

    O que existe é um padrão de desmantelamentos de estados, a partir da Iugoslavia, agravados depois de 11/11/2001, na região do Oriente Médio e norte da África. Estados outra hora ricos es prósperos, virão estados fantasmas, ou “balcanizados” (divididos em diversos outros países pequeno e sem força política ou militar).

    Allepo irá voltar as mãos de Assad antes do final de ano, se não tivermos novidades. Isso significa que Assad se manterá no poder, em desacordo com as potencias ocidentais. EUA estão em um beco sem saída contra os excelentes estrategistas e diplomatas russos, que intimaram em diversas frentes o governo americano, cabe agora esperar a próxima jogada americana, ou os resultados das eleições. Muito provavelmente com Hilary (visto seu passado na Ucrânia e Líbia) as tensões entre os dois países redobrará.

    Resumindo, apenas no teatro sirio, as coisas estão em um nível de tensão extremamente alto e complexo. Temos ainda a disputa do mar do sudeste da China, o teatro da Ucrania e a “russofobia” no báltico. Além de nosso país estar em crise sem perspectiva de melhora… Agora cada um pensa se existe possibilidade de acontecer algo muito maior ou não (vejam o texto do Selco que ele postou hoje).

  • Ricardo Falcão

    Isso tudo é para tirar o foco que o palmeiras não tem mundial , kkkk

    • Kkkkkkkkk, pra q ser sincero cara?

  • EVANDRO ANDRADE DOS SANTOS .

    DEVERIAM AMBOS SE JUNTAREM PRA CONSTRUIR UM MUNDO MELHOR , NAO PENSAM NAS CRIANÇAS INOCENTES , NAO PENSAM EM NADA DIGNO .

  • Comprimidos de iodo podem auxiliar em caso de um ataque nuclear. Evidente que tudo depende da intensidade desse ataque, além disso, não sei dizer qual a quantidade a ser tomada nesses casos.

    • Tempos atrás alguém do ramo explicou aqui que o tempo de decaimento do Iodo radioativo é de 7 dias. Neste caso um conflito na Europa não traria riscos.

      • Mas um conflito mundial pode atingir inclusive a América do Sul.

    • RockShooter

      Comprimido de iodo só protege do iodo radioativo (I-131) não protege dos demais elementos produzidos pela fissão que também são radioativos… e não existe um comprimido que proteja de todos os elementos ao mesmo tempo, pois esse comprimido seria venenoso… O iodo-131 tem meia-vida de 8 dias, portanto após cerca dois meses não resta muito material radioativo, além do que, o iodo é rapidamente excretado pelo organismo e pouquíssima quantidade é absorvida pelo organismo.

      O comprimido de iodo é apenas uma propaganda governamental para que ninguém diga que nada foi feito para proteger os cidadãos ou trabalhadores “ocupacionalmente expostos” em caso de algum acidente radioativo… ou seja o efeito é mais psicológico do que real.

  • Em Aleppo, os terroristas da Frente Al-Nusra, braço da Al-Qaeda, que mudou de nome para Jabhat Fateh al-Sham, recebem armas e treinamento do ocidente e seus aliados (Arabia Saudita e Israel). No entanto, o exército sírio, apoiado pelos russos está levando vantagem sobre os terroristas e aos poucos recuperando o controle da cidade. Esse fato desagradou os americanos, inclusive o exército sírio está até utilizando os mísseis portáteis americanos “tow” abandonados pelos terroristas em sua fuga.

    Fato é que o Ocidente decidiu que o Assad deve sair do poder, nem que para isso precisem colocar terroristas em seu lugar, só falta combinar com os russos.

    Boa fonte para se manter informado do que ocorre na Síria:
    https://www.facebook.com/tOPeTEGZ/

  • Washington está a tentar manter as suas posições sem ter que iniciar uma Terceira Guerra Mundial, mas parece uma tarefa impossível. Moscou está oferecendo aos Estados Unidos uma saída segura na Síria e Iêmen. Mas se eles devem escolher esta opção, eles seriam obrigados a abandonar alguns dos seus aliados

  • ricardo falcao

    isso tudo é so para distrair o foco de que o palmeiras não tem mundial, kkkkkkkkk

  • Fellipe Rabelo

    Muito bem feito o resumo e as comprovações da veracidade das informações. Realmente é alarmante, é tenso saber que se eles decidissem acabar com tudo, todos nós morreríamos… vamos esperar que fique só no ranger de dentes.

  • Não acho que vá rolar uma guerra entre EUA e Russia (pelo menos não tão cedo), até pq essa semana Obama e Putin se reuniram para discutir a questão de Aleppo. Mesmo nem um dos dois assumindo seus atos (a Russia bombardeando os rebeldes, e os EUA bombardeando as tropas de Assad), os dois estão tentando chegar a um acordo, e esse diretor da agência de notícias governamentais da Rússia já tinha falado merda e sido repreendido semana passada.
    Julio, se vc quiser saber mais sobre a situação das relações entre Russia e EUA, eu indico o Xadrez Verbal, um podcast sobre política internacional, com o Felipe Figueiredo (do Nerdologia de Historia).

  • Tudo teatro; Guerra nuclear pontual= redução populacional; Os governos estão perdendo o controle do povo e sabem que só resta uma saída; Não adianta se iludir, não veremos a utopia das cidades futuristas, campos verdejantes, jardins exuberantes e pessoas amáveis umas com as outras.

  • Célio Freitas

    O importante, neste caso, me parece ser a fonte, OffGrid Survival é americano, eles sabem mais que nós, e devem estar relatando os fatos para que todos se cuidem. Dei uma olhada nos links, é realmente bem interessante!
    Valeu pelo post!

  • Basta alguns países apoiarem a Rússia e outro grupo de países apoiarem os EUA, e pronto…. Teremos a terceira Guerra Mundial

  • Isso me parece mais uma estratégia pra desviar o foco das eleições ou de outro acontecimento.

  • Cayo Vinícius

    Tenso o negócio.

  • Como comentei no post anterior me parece apenas ranger de dentes. Guerras exigem (muito) dinheiro, coisa que os americanos não tem, e o russos menos ainda. Na improvável hipótese de acontecer penso que descambaria muito rapidamente para um conflito tático limitado, com utilização limitada de armamento nuclear. A Rússia quebraria antes que os americanos então a única saída seria essa.

    • Leandro Macedo

      Aí que entra a China (ao meu ver), os dois se quebram e ela assume a liderança mundial

      • A China é esperta.Só não esqueça as imensas reservas cambiais em Dólar e os massivos investimentos nos EUA….Ela não tem interesse algum em ver os EUA quebrados de vez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s