O que levar em consideração ao montar seu kit de sobrevivência?

Todos que acompanham esta área de sobrevivencialismo sabem que um dos assuntos mais explorados em fóruns, redes sociais e vídeos são os kits de sobrevivência. Inúmeros conteúdos procuram montar um kit ideal e que atenda a todas as necessidades, mas será esta a abordagem correta? Será que realmente existe uma “receita de bolo” para um assunto tão complexo?

É claro que o problema não está em que produz o conteúdo, mas sim na forma como algumas pessoas interpretam o que está sendo passado. Muitos decidem pegar o caminho mais fácil e copiam um kit que acharam, achando que assim estarão completamente seguros e equipados, mas… Sabe qual o resultado deste ato?

Acabando gastando dinheiro e tempo em algo que não se aplicam às suas realidades. 

Para evitar esse problema, hoje vou trazer algumas dicas importantes para que você possa montar seu kit de maneira estratégica e inteligente.

Para que você quer seu kit de sobrevivência?

Esta é a primeira pergunta – e a mais importante de todas. Para que você quer um kit? Para lhe fornecer um acampamento seguro? Para lidar com imprevistos em uma trilha? Para se preparar para um cenário de crise urbana?

Pode ser frustrante, mas uma coisa é certa: Nenhum kit supre todas as necessidades para todos os cenários. Por isso, saber para que você está comprando suas coisas é imprescindível para não gastar dinheiro a toa.

Seja realista e avalie o cenário onde você está. Qual o tipo de terreno? Que tipo de vegetação e recursos existem na área? Quais as possíveis ameaças ou problemas que podem acontecer? Todas estas perguntas serão chave para você montar sua lista de itens.

O que ele tem que ser capaz de realizar?

Uma vez que você decidiu qual o propósito do seu kit, você precisa pensar em que tipo de funções ele deve realizar. Se o seu kit é focado em sobrevivência em selva (por exemplo) você tem algumas perguntas à responder: Você pretende caçar? Fazer fogo? Montar um abrigo? Purificar água? Tudo isso deve ser levado em consideração.

Quer fazer fogo? Então você precisa de recursos focados nisso.

Agora sim, com um propósito definido e as funções que ele terá de realizar bem claras, chegou a hora de fazer sua “lista de desejos”. Porém cuidado: É facil se apegar a itens muito tecnológicos ou bonitos e perder novamente o foco na montagem do seu kit.

Tenha sempre em mente que se o kit estiver sem propósito e função, torna-se apenas uma coleção de equipamentos.

Qual seu orçamento? Como decidir em que gastar mais?

Aqui entra o gerenciamento entre desejo e realidade. Quanto você pode gastar para montar seu kit? Vai comprar tudo de uma vez ou vai separar um valor mensal para ir comprando em partes? Saber o seu limite financeiro é importantíssimo.

Digo isso pois muitas vezes ficamos tão focados em um equipamento específico que acabamos por gastar muito em um item e deixamos os outros de lado por falta de dinheiro. Um exemplo? Kits com facas caríssimas e itens de primeiros socorros baratos e limitados.

A regra é simples: Não se deixe levar pelo marketing e o glamour dos equipamentos topo de linha. Se você não tem dinheiro sobrando, nem perca tempo vendo itens caros demais. O problema de ficar “paquerando” itens caros é que você pode, por impulso, gastar todo seu orçamento em apenas um ou dois itens e continuar despreparado. Pior ainda, olhar as “Ferraris” pode desanimar você de comprar itens mais acessíveis e de entrada que cabem no seu bolso.

Definiu sua lista e agora quer comprar? Você pode conhecer nossos equipamentos lá na Via de Fuga, a loja oficial deste portal.

Comprou? Hora de testar!

Um kit não usado é uma coleção, não um recurso viável. Você pode achar que montou o melhor kit do mundo, mas só terá certeza disso quando testá-lo da forma mais real possível. Fez um kit para acampar? Vá para o mato. Fez um kit de preparação contra desastres? Elabore uma simulação. Você irá se surpreender com a série de falhas que vai encontrar.

Você só percebe que seu kit médico está pobre quando simula um ferimento em um colega ou familiar

A prática não só lhe ajuda a testar como também te mostrará as capacidades reais do equipamento (e as suas também). Lhe digo isso pois existem equipamentos que podem ser perfeitos para mim, mas péssimos para você e vice versa.

Melhor descobrir suas preferências e limitações em um cenário de teste do que em uma situação real.

Concluindo…

O sucesso na montagem dos seus equipamentos depende diretamente do planejamento prévio que você fez antes de comprar seus itens e também do teste em campo daquilo que você comprou. Pontuo novamente aqui que se você está comprometido a criar um kit que pode salvar sua vida ou de sua família, terá que sujar as mãos e testar exaustivamente sua combinação de itens até se sentir completamente seguro com o que tem dentro de sua mochila.

Até.