Como a queda do preço no petróleo pode afetar você?

O preço petróleo caiu mais de 40% desde Junho, quando custava $115 dólares por barril. Hoje está abaixo de $70 dólares. Esse preço surge depois de cinco anos de estabilidade, de repente. A falha no estabelecimento de um acordo entre os membros da OPEC (Organização que cuida da produção e exportação do petróleo) contribuiu para os preços rolarem escada abaixo. O que isso quer dizer para você?

“Ué, isso é bom, quer dizer que a gasolina pode ficar mais barata!”

Infelizmente não, não é bem por aí. Como qualquer outro produto, os preços são determinados pela oferta e procura e, com os Estados Unidos começando a usar suas próprias reservas, a busca por combustíveis alternativos e máquinas cada vez mais eficientes, a balança ficou descompensada. Isso quer dizer que os grandes produtores de petróleo estão começando a tremer em suas bases, pois não estão conseguindo vender seu produto. Veja só o que já está acontecendo:

A quebra econômica da Rússia

Em menos de seis meses a Russia perdeu metade de suas riquezas como resultado de um colapso rápido se sua economia. Tamanha queda em tão pouco tempo fez com que os russos, temendo por uma grande crise, começassem a sacar todo o dinheiro que possuíam no banco, desestabilizando ainda mais a economia do país.

A verdade é que a Rússia nos últimos 15 anos tem confiado somente na produção e venda do petróleo para manter seu crescimento e não sabem para onde podem correr agora. No melhor dos cenários os economistas apontam que o país poderá ficar dois anos estagnado (sem crescimento algum) até que a economia mundial esperançosamente volte a precisar dos barris de petróleo deles.

Como isso tudo pode afetar você?

Quando a oitava maior economia do mundo está a um passo de entrar em colapso, ondas de impacto com certeza vão impactar gravemente o resto do mundo.

O petróleo tem ditado a economia mundial durante várias décadas, com papéis de quem compra e quem vende bem definidos. Agora, com a mudança do panorama e com a constante queda da necessidade dele, vamos passar por crescentes momentos de mudança (Lê-se instabilidade).

Além disso, o mundo hoje é muito interligado, então quando um país de tamanha influência começa a sangrar, irá impactar em vários outros. O primeiro e mais claro exemplo foi o conflito na Ucrânia, estimulado por Putin como uma tentativa de agregar mais produção e menos competição na venda de seu principal produto decadente.

O Brasil não é muito bom em conter impactos externos, isso é fato. Por mais que o primeiro impacto seja apenas “uma marolinha”, a segunda onda sempre tende a derrubar muita gente. Então como podemos nos preparar para as possíveis repercussões que nos aguardam em 2015?

Pague suas dívidas e crie uma reserva financeira: Durante qualquer tipo de colapso econômico aqueles que possuírem dívidas e aqueles sem reserva financeira serão os que vão sentir a dor mais rapidamente. No desespero para manterem sua renda, as empresas vão atacar quem estiver devendo e farão todo tipo de pressão para receber. Pensando nisso, foque em pagar suas contas e criar uma reserva de dinheiro que poderá ser convertida para recursos (comida, medicamentos e afins) caso haja a necessidade. Muitos até pensam que quando a economia quebra as dívidas não importam mais, mas lembre-se que antes dela quebrar o banco poderá tomar sua casa, seu carro e qualquer coisa que ainda não esteja quitada.

Invista em itens consumíveis de longo prazo: Comece a armazenar as coisas que você sabe que precisará usar no futuro. Suprimentos de emergência, amas de fogo e munição, rações de emergência e itens de uso doméstico diário são os mais importantes e que vão com certeza manter seu valor estável – ou até aumentar – depois do colapso.

Cuide de sua defesa: Se um colapso acontecer, uma das maiores ameaças que você irá enfrentar serão as pessoas tentando tirar vantagem da situação. O aumento de criminalidade que temos visto não será nada se realmente houver um colapso de escala gigante no país.

  • Procure por formas de fortificar sua casa;
  • Aprenda o básico de defesa pessoal e considere tomar aulas de como usar armas de fogo;
  • Esteja alerta a indícios de caos social e fique atento ao que têm acontecido em sua vizinhança.

Invista em uma mochila de fuga e possua um plano de evacuação: Ter um plano para evacuação de emergência é um ponto importante no processo de se preparar para um desastre. Se as coisas começarem a ficar realmente ruins, talvez haja a necessidade de evacuar sua área de moradia. Nos casos onde essa evacuação se torna necessária você precisará ter uma mochila cheia de suprimentos para pegar e sair no momento imediato de necessidade.

Até.

Post compilado e adaptado das fontes: OffGridSurvival e TheEconomist.

Anúncios

38 Comentários

  • Como sempre ótimas dicas, parabéns pelo trabalho!
    Só pra complementar, quem puder e quiser investir em segurança na sua casa, faça de maneira discreta e funcional.
    Construa pelo menos uma saída alternativa para o automóvel e outra discreta para sair a pé caso precise, e só use em caso de emergência. Isso dificulta muito a ação dos criminosos. Um quarto reforçado localizado ao centro da casa (quarto do pânico) é um investimento um pouco mais alto mas que pode fazer a diferença.
    Outra medida a ser tomada, principalmente pra quem faz uso de portões automáticos, é dar uma volta no quarteirão antes de entrar e se certificar de que não tem suspeitos próximos da casa antes de abrir o portão. Quando tiver feito isso, faça a manobra e entre de marcha ré, feche o portão logo em seguida.

  • Uma coisa é certa,como diz meu avô -Quem bate o Martelo é o homem da capa preta

  • O Julio em que você acredita que pode acontecer? talvez uma crise econômica mundial? ou coisas que leve para o lado de desastres ecológicos ?

  • A verdade é que a economia atual se assemelha muito ao autocarro do filme Speed,ela não pode parar de acelerar ou então explode.Isso devido ao fato da nossa economia basear-se em uma ideia de crescimento perpétuo,mas tal ideia é absurda visto que o nosso planeta é limitado.Por isso a questão não é SE HOUVER UM COLAPSO FINANCEIRO mas QUANDO haverá um colapso financeiro.

    Abraço a todos e fiquem bem.

  • Empresa francesa vende pilhas que duram ‘para sempre’

    http://info.abril.com.br/noticias/tecnologia-pessoal/2014/09/empresa-francesa-vende-pilhas-que-duram-para-sempre.shtml

    fonte: http://pindorama.ning.com/

  • Evidentemente estamos viviendo una guerra, como dijo el Papa, la tercera guerra mundial en partes, por ahora es mayormente economica (aunque en medio oriente y ucrania es una guerra tradicional), La baja del pretroleo es una estrategia para debilitar a rusia, igual que lo fue el conflicto de Ucrania, esta guerra economica repercute en el mundo entero, pero pude llevarnos a un enfrentamiento belico si pasa al siguiente nivel.

    • El Papa es un gilipollas y en la situación de nuestra época, todas o casi todas las guerras, así como la politiquería interna, son en realidad un teatro preparado para nos distraer de lo que realmente importa.

      Generación tras generación, en nuestra vida ignorante, inútil y parasitaria, los vemos y escuchamos y los repetimos y así atrofiamos nuestra propria independecia y libertad de decisión y consecuentemente dejamos que hagan lo que quieren cón nuestro planeta.

      Lo que es más importante para los imperios? el dinero o la fuerza que desarrolla el trabajo? Obviamente, considerando que los imperios crean el dinero a sus proprios antojos …

      Con la calidad de la tecnología que el grupo o grupos que controlan a èsos impérios dominan, el contexto político mundial ya está inebitablemente determinado. Incluso porque la gente insiste más y más en el debilitamiento se sus cuerpos, mentes y espíritus.

      La única religión fiable y professável, sino también la única ideología política fiable y professável es aquella que se desarrolla en si propio pura y originalmente, por sus proprias percepciones, análisis y conclusiones.

      Tengan todos uns feliz solstício y disfruten de energia solar en abundancia!

      • La guerra, si, puede ocurrir, pero, el Papa solo dirá aquello que todos ya lo sabemos, o que nos vaya a confundir.

        Saludos!

      • Al final no dijiste que es lo que realmente importa y por lo que suceden todas las cosas como una pantalla.

      • Pero se ya lo sabes! La salud individual, la salud ambiental del planeta, la libertad, la felicidad etc. tuya e de los tuyos

      • Y no sé lo que quieres decir con la expresión “pantalla”, pero el ser humano tiene algo muy valioso para ellos – sean quien sean que gobiernan el mundo – que és su conciencia, su capacidad de relacionar las cosas que sentimos y esso, no se contiene en nuestros corpos, e puesto que estamos enfermos esta fuerça, la vida, se va más deprissa, robada por los que conocen algunos de sus misterios.

  • Caros, certamente uma crise virá. Apenas para esclarecer um pouco mais a questão geopolítica entre OTAN, Oriente Médio, Europa e China seria bom darem uma lida nos posts do seguinte blog: http://redecastorphoto.blogspot.com.br/. Alem disso, é necessário mais pesquisa para tentar compreender o que está envolvido, pois a comédia é grande. Não se pode é acreditar no que dizem os jornalistas do UOL e companhia, são mais mentirosos que os políticos. A guerra entre OTAN e Rússia já começou e nos afetará. As dicas do Júlio, como sempre, são excelentes.

  • Estes dois textos da ESGE (Escola Superior de Geopolítica e Estratégia) são muito interessantes e elucidativos.

    http://www.defesanet.com.br/esge/teoria_mentira.pdf
    http://www.defesanet.com.br/esge/TEORIA_DA_MENTIRA_II.pdf

    Desfrutem!

    • Foi um pouco difícil encontrar os textos os links já não existem mais
      encontrei em (
      http://www.maoslimpasbrasil.com.br/biblioteca/9-artigos/434-teoria-da-mentira)
      Já dei uma lida por cima, mas me parece ótimo, obrigado!

  • Com certeza acredito que enfrentaremos uma crise, só não sei se posso afirmar que vai ser desta vez, mas sem duvidas posso afirmar quem vai pagar pelos danos causados por ela seremos nós, enquanto uma sala cheia de engravatados discutem o futuro do país, comendo petiscos e bebendo, com milhões em dinheiro vivo em sua posse, pessoas comuns vão estar lutando pela sobrevivência propriamente dita, pais de família e seus filhos, que pagam os custos desse país também vão pagar um preço maior ainda, como nada funciona em nosso país mesmo em dias de “paz” e não podemos confiar em nosso governo, o melhor que temos a fazer é buscarmos independência, quanto mais independentes e mais bem preparados em recursos e habilidades, melhor ficaremos.

  • Caro Lobo, Buenas desde as nossas 3 Fronteiras, aqui em Foz com divisa, Brasil, Argentina e Paraguai!!!
    Parabéns pelo contexto do seu artigo. Realmente, quem tiver com dívida, corra para quitá-la. Ou ao menos, negociá-la dentro de cada realidade que leve a quitação.
    Pois algo há, se considerarmos: A a China diminuiu o investimento em infraestrutura e aumentou em readequação em seu armamento moderno, cujo Ministro de Defesa, solicitou entrega urgente de seus fabricantes; Papa vai a Turquia, visitar líderes Ortodoxos em novembro e a Turquia em dezembro, depois de estar quase dentro da União Europeia, de repente, toma outro rumo e se fecha para o mundo; O Papa na sequência, convence os EUA a acabar com o embargo a Cuba; Ou seja…Se prepare, porque algo há em curso….

    • Olá Christiano,

      Agradeço seu apoio. Nunca saberemos dos planos dos grandes cabeças, porém temos de fazer o melhor para proteger aquilo que é importante para nós.

      Abraços.

  • Parece um artigo da Eliane Cantanhêde!!!
    Se compararmos a crise de agora, com a crise de 70, onde a OPEP inflacionou o preço do barril em 400% em poucos meses, asfixiando as economias até dos EUA. Qual delas aponta como pior? O encarecimento ou barateamento do petróleo para a indústria e transporte de um país?
    O Brasil não é um exportador de petróleo e diferente da Venezuela ou Rússia não depende desse commodity – depende de outras, mas não dessa. Vai frustrar expectativas em relação ao pré-sal, talvez. A Rússia comrará menos carne brasileira, talvez…
    Aliás, o grande alvo dessa crise é a Rússia – de quebra Venezuela e Irã. Provocar a 2ª potência nuclear mundial não é lá muito bom.

  • Depois de dar-se conta do fracasso de suas ações na Ucrânia, o ocidente, comandado pelos EUA, decidiu destruir a economia russa, fazendo desabar os preços do petróleo e também do gás, sabidamente itens principais de entradas no orçamento de exportações e fonte de recursos para recompor as reservas russas de ouro.

    • Segundo algumas fontes, Putin não aceita mais dólares como pagamento final pelos seus recursos energéticos, mas apenas ouro físico. Acontece que o ouro é artificialmente desvalorizado para valorizar o dólar e Putin, pega esses dólares inflados e compra ouro físico, não em papel. A China vai pelo mesmo caminho, não aceitando dólares como pagamento final, mas intermediário, acumulando ouro.
      Até quando o ocidente poderá pagar em ouro pelo gás e petróleo russos?
      Será o fim da era dos petrodólares, quando americanos trocavam papel e tinta por petróleo?

  • Como sempre, ótimo artigo. Quanto mais entendo sobre o estado atual da economia e geopolítica mais temo pelo nosso futuro.

    • Olá amigo,

      Pois é, as coisas não parecem boas, porém temos sempre de pensar que em todo desastre existem algumas pessoas ficando ricas, o segredo é entender qual o caminho que elas estão seguindo.

      Abraços.

  • carlossilvapb

    Eu acredito que, por causa dos últimos acontecimentos envolvendo a queda do preço do barril de petróleo, as consequências para nós serão nefastas. O governo contava com o pré-sal para reforçar o caixa. Mas, depois que o barril de petróleo caiu, certamente o que seria apurado não cobre nem o preço da prospecção. A Rússia está afundando. Os países árabes exportadores de petróleo também vão sofrer. Os EUA conseguiram diminuir a sua dependência em relação aos outros países, por causa do xisto betuminoso. A demanda por petróleo diminui no mundo. E isso, economicamente falando, é horrível! 2015 vai ser tenso!

  • “”O primeiro e mais claro exemplo foi o conflito na Ucrânia, estimulado por Putin como uma tentativa de agregar mais produção e menos competição na venda de seu principal produto decadente.””

    Estimulado por Putin???!!!

    De onde você tirou idéia tão estúpida? Da TV? Dos supremacistas judeus? Das revistas semanais?

    De qualquer forma pouco importa em se tratando de sobrevivência. Pouco me importa o razões que levaram a que algo me atingisse, o que importa é como agir depois que sou atingido, independentemente das causas do evento.

    • Olá amigo,

      Pesquisei esta afirmação nos sites pontuados como fontes no final do artigo. Não sou especialista em ciência política ou economia, então coletei uma série de visões diferentes para conseguir escrever esta matéria.

      Desculpe se cometi um equivoco, porém assim como me falta conhecimento técnico sobre o assunto lhe falta um pouco mais de tato para apontar os pontos de melhoria dos outros.

      Abraço.

    • Você não, pelas suas palavras, deve fazer muito o uso da força e pouco da inteligencia.

    • As razões reais, verdadeiras, importam sim, pois se você entender o universo em que habita e do qual faz parte, poderá conviver melhor nele e com ele e antecipar as percepções de bonanças e mazelas.

      Na minha opinião, o estimulador principal para essa crise realmente não é o petróleo, este argumento funciona apenas como um argumento… uma desculpa intelectual, uma justificativa para o público moderno ao qual se destina, considerando as informações que a imensa maioria conhece; justificativas religiosas ou de outras categorias, não se adequam àquela situação nem a finalidade a que se propõem. Para patriotas o argumento principal será um, para economistas o argumento será outro, para religiosos outro… para yogues a motivação principal é outra.

      E judeus são gente boa… como todas, ou quase todas as gentes o problema não está na etnia dos que decidem as guerras, mas sim na hierarquia que controlam. Podem aparentar ser cristãos… ou muçulmanos, ou hindus, ou céticos inveterados, sua religião e etnia não são o determinante para o imperialismo, mesmo porque, como aprendemos, o imperialismo foi inventado séculos antes dos judeus.

      Te lembro que o povo judeu sofreu muitas injustiças bem como os ciganos – certamente houveram muitíssimos verdadeiros sobrevivencialistas entre eles. Não menospreze o povo judeu nem o conhecimento desenvolvido por ele. Imperialistas há em todos os impérios. Também não menospreze ao Julio, ele aparenta ser uma ótima pessoa e se esforça muito para nos estimular, ensinar e preparar para a sobrevivência. Respeite a todos nós, discordâncias sadias são boas e úteis e aprimoram as informações, mas é melhor nos respeitarmos, pois todos aqui intencionamos o mesmo objetivo, estamos aqui para nos ajudar mutuamente.

      Saúde e
      Feliz periélio!

  • A economia do Brasil está caindo vertiginosamente, o governo tem uma dívida pública astronômica quase impossível de quitar, mesmo pagando só os juros como tem feito terá que aumentar os impostos e reduzir os serviços públicos pra continuar pagando. Acrescente a essa dívida os pagamentos dos programas assistenciais e o rombo no Bndes que usa o dinheiro do FAT e do FGTS do todos nós Soma-se a isso uma crise internacional e na Petrobrás e a bomba está armada, em algum momento de 2015 o Brasil vai quebrar e o governo vai dar calote em todas as empresas que são seus credores, teremos bancos quebrando, empresas falindo e muitas demissões. Aumento da violência, desabastecimento e não prestação de alguns serviços principalmente os públicos é consequência, caos social acho difícil mas não impossível. Agora é hora de aproveitar o 13º e usá-lo com sabedoria nas preparações e se possível guardar um pouco. E não descuidar da segurança pois num caos quem tem dinheiro não tem poder, quem tem poder no caos é quem tem armas. Não entendam como apologia a se armarem

    • “Não entendam como apologia a se armarem”

      Como se eu precisasse de apologia.

    • Fala Magnus,

      Bom vê-lo por aqui. Nosso cenário é realmente complicado, porém tenho cultivado a visão de que “em toda guerra existem pessoas que enriquecem”, então tenho pensado em formas de participar deste grupo.

      Acredito que só o fato de estarmos alertas já é um belo passo na frente da grande maioria, agora o próximo ponto é agir e efetivamente adquirir recursos que possam ser viáveis para superar ou até prosperar neste período.

      Abraços.

      • Tenho pensado a msm coisa: em como ganhar algum $$ com a crise. Vlw Julio

  • Sempre atentos ao que você diz.

  • Hoje no Brasil já vivemos em uma situação que beira a um colapso, pois não temos segurança, o governo lhe impede de prover sua própria segura, o sistema de saúde é falido e mesmo fora de uma situação anômala o nosso sistema de saúde não consegue atender a demanda. Agora se uma crise econômica de larga escala acontecer, e o Brasil infelizmente não está preparada para isso, pois as contas públicas se deterioraram, nós estaremos literalmente sozinhos, e ai o que esse texto trás é o mínimo que irá acontecer.

    • Olá Eli,

      Concordo. Hoje nosso governo não têm condições de se manter em tempos relativamente “prósperos”, imagine então se as coisas desandarem. Vamos manter o foco e continuar nossas preparações.

      Abraços.

    • Os governantes não estão nem aí para as maças, o que querem mesmo é apenas unica e exclusivamente continuar mantendo o statos no qual eles vivem, ou seja querem continuar comendo caviar enquanto o povo fica com as sobras que caem ao chão…

      O nosso maior erro é ficarmos nessa de entregar o cuidado de nossas vidas a terceiros esperando que eles sejam nosso anjos da guarda, outra mancada nossa é nos entregarmos ao sistema, principalmente ao consumismo. Os feriados de fim de ano estão aí para provar isso, com essa ideologia que esta época é época de festas, é época de curtir e aproveitar o pessoal gasta o que tem, se endivida só para não passar os feriados em branco… É só um exemplo leve de como modismos e costumes podem influenciar negativamente. Não é diferente nas eleições, na hora de cobrar do governo…

      Parecemos os índios da época do “descobrimento” que entregaram as riquezas da terra em troca de meros espelhos e outras quinquilharias.

      Não espere que os governantes vão se importar com vc.

  • São muitos os pontos para o sobrevivencialista se preocupar, a parte econômica acredito eu seja uma das mais frágeis e capaz de nos por em uma situação de caos (vide crise financeira de 1929 nos EUA), mas algo que me chama a atenção nesse momento é a iminente falta de água em minha cidade, ontem mesmo fiquei sabendo de muita gente que já teve que se mover de suas casas para casa de parentes em outros bairros para conseguir manter o mínimo de conforto/higiene… e o pior a previsão de chuvas não é otimista no curto prazo.

    • Olá Alex,

      Não poderia concordar mais. Estou devendo produção de conteúdo voltada para esta questão, mas estou estudando a possibilidade de construir uma cisterna em casa e filmar o processo para compartilhar com os colegas aqui do blog. Em breve algo do gênero será publicado.

      Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s