Como a queda do preço no petróleo pode afetar você?

O preço petróleo caiu mais de 40% desde Junho, quando custava $115 dólares por barril. Hoje está abaixo de $70 dólares. Esse preço surge depois de cinco anos de estabilidade, de repente. A falha no estabelecimento de um acordo entre os membros da OPEC (Organização que cuida da produção e exportação do petróleo) contribuiu para os preços rolarem escada abaixo. O que isso quer dizer para você?

“Ué, isso é bom, quer dizer que a gasolina pode ficar mais barata!”

Infelizmente não, não é bem por aí. Como qualquer outro produto, os preços são determinados pela oferta e procura e, com os Estados Unidos começando a usar suas próprias reservas, a busca por combustíveis alternativos e máquinas cada vez mais eficientes, a balança ficou descompensada. Isso quer dizer que os grandes produtores de petróleo estão começando a tremer em suas bases, pois não estão conseguindo vender seu produto. Veja só o que já está acontecendo:

A quebra econômica da Rússia

Em menos de seis meses a Russia perdeu metade de suas riquezas como resultado de um colapso rápido se sua economia. Tamanha queda em tão pouco tempo fez com que os russos, temendo por uma grande crise, começassem a sacar todo o dinheiro que possuíam no banco, desestabilizando ainda mais a economia do país.

A verdade é que a Rússia nos últimos 15 anos tem confiado somente na produção e venda do petróleo para manter seu crescimento e não sabem para onde podem correr agora. No melhor dos cenários os economistas apontam que o país poderá ficar dois anos estagnado (sem crescimento algum) até que a economia mundial esperançosamente volte a precisar dos barris de petróleo deles.

Como isso tudo pode afetar você?

Quando a oitava maior economia do mundo está a um passo de entrar em colapso, ondas de impacto com certeza vão impactar gravemente o resto do mundo.

O petróleo tem ditado a economia mundial durante várias décadas, com papéis de quem compra e quem vende bem definidos. Agora, com a mudança do panorama e com a constante queda da necessidade dele, vamos passar por crescentes momentos de mudança (Lê-se instabilidade).

Além disso, o mundo hoje é muito interligado, então quando um país de tamanha influência começa a sangrar, irá impactar em vários outros. O primeiro e mais claro exemplo foi o conflito na Ucrânia, estimulado por Putin como uma tentativa de agregar mais produção e menos competição na venda de seu principal produto decadente.

O Brasil não é muito bom em conter impactos externos, isso é fato. Por mais que o primeiro impacto seja apenas “uma marolinha”, a segunda onda sempre tende a derrubar muita gente. Então como podemos nos preparar para as possíveis repercussões que nos aguardam em 2015?

Pague suas dívidas e crie uma reserva financeira: Durante qualquer tipo de colapso econômico aqueles que possuírem dívidas e aqueles sem reserva financeira serão os que vão sentir a dor mais rapidamente. No desespero para manterem sua renda, as empresas vão atacar quem estiver devendo e farão todo tipo de pressão para receber. Pensando nisso, foque em pagar suas contas e criar uma reserva de dinheiro que poderá ser convertida para recursos (comida, medicamentos e afins) caso haja a necessidade. Muitos até pensam que quando a economia quebra as dívidas não importam mais, mas lembre-se que antes dela quebrar o banco poderá tomar sua casa, seu carro e qualquer coisa que ainda não esteja quitada.

Invista em itens consumíveis de longo prazo: Comece a armazenar as coisas que você sabe que precisará usar no futuro. Suprimentos de emergência, amas de fogo e munição, rações de emergência e itens de uso doméstico diário são os mais importantes e que vão com certeza manter seu valor estável – ou até aumentar – depois do colapso.

Cuide de sua defesa: Se um colapso acontecer, uma das maiores ameaças que você irá enfrentar serão as pessoas tentando tirar vantagem da situação. O aumento de criminalidade que temos visto não será nada se realmente houver um colapso de escala gigante no país.

  • Procure por formas de fortificar sua casa;
  • Aprenda o básico de defesa pessoal e considere tomar aulas de como usar armas de fogo;
  • Esteja alerta a indícios de caos social e fique atento ao que têm acontecido em sua vizinhança.

Invista em uma mochila de fuga e possua um plano de evacuação: Ter um plano para evacuação de emergência é um ponto importante no processo de se preparar para um desastre. Se as coisas começarem a ficar realmente ruins, talvez haja a necessidade de evacuar sua área de moradia. Nos casos onde essa evacuação se torna necessária você precisará ter uma mochila cheia de suprimentos para pegar e sair no momento imediato de necessidade.

Até.

Post compilado e adaptado das fontes: OffGridSurvival e TheEconomist.