Corrente: Qual a melhor arma e calibre para defesa?

O assunto sobre armas e defesa pessoal é extenso e cada um tem sua opinião (que costuma defender com garras e dentes). Pensando em conhecer um pouco mais sobre como cada um pensa sobre esse assunto, o Alexandre Lima, autor de um canal sobre armas e tiro esportivo no Youtube, lançou uma corrente perguntando qual é a melhor arma e calibre para defesa pessoal. Hoje é a minha vez de dar um “pitaco”.

Hora de escolher!

Quem me indicou para responder esta corrente foi o Thyago do canal Diário do Atirador, canal que recomendo que conheçam pela qualidade dos vídeos e também pelo próprio Thyago que é uma pessoa muito bacana.

Para não me delongar em texto, explico as regras no vídeo e aproveito também para justificar o meu “sumiço” do Youtube…rs. Segue:

Conforme dito no vídeo, indico o colega Cleber, do canal Cleber44Mag, canal relativamente novo mas que já tem ganhado público pela seriedade e boa qualidade dos seus vídeos.

Pois bem, espero que tenha sido claro no meu posicionamento e fico ansioso para saber o que vocês responderiam! Aguardo muita discussão nos comentários!

Até.

 

Anúncios

28 Comentários

  • O 32 auto também é uma otima arma de defesa fácil de esconder é muito potente já vi atravessar tábuas e galões
    De tintas um dentro do outro tão letal quanto o 38 spl.

  • A melhor arma em minha opinião e o Rifle Magnum cal. 44 ou o 357 fácil de manusear embora uma arma Bruta mas com base em caça em javalis te garanto que para qualquer coisa, mas como foi dito a pessoa tem que ter uma intimidade com a arma,Aqui no RS com as divisas com Argentina e demais Países eu acho que e a melhor resposta para o abate controlado por lei desses animais que se tornaram praga e são violentos , sem dizer que o cão de caça tem que ser o Dogo Argentino que e outra arma muito poderosa……..abraços amigos.

  • alexandre simon

    comcordo com vc fernando possuo uma cal 20 boito 2 canos exelente arma leve,robusta,grande poder de parada,e munucao mais em conta e bastante diversa igual a cal 12. E para quem intende de arma sabe que oque se faz com a cal 12 eu faco com a minha 20 magnum.

  • Antonio Carlos Messas

    Melhor arma de defesa ainda é corrrrrrrrrrreeeeeeeerrrrrrr muito

  • Na minha opinião. Singela por sinal. A melhor arma para defesa pessoal é aquela que no momento está em suas mãos. Seja um simples RT85 38, 5t, 2″ ou seja uma CZ75, 9mm, 15t. Não importa é aquela que está na mão.

    • tudo depende, mas a melhor entre TODAS, que leva a vantagem de munição reutilizável e acessível (posso fazer tranquilamente, tendo 13anos) é uma besta recurva jaguar, (ou se não, um arquinho vagab*ndo de 16 lb. tmb serve) 😀

  • edsonvirtual

    Sou Policial Militar, e para a questão proposta penso da seguinte forma; Ao se escolher e eleger uma arma para defesa, deve-se levar em consideração a ameaça que se apresenta, seu nível de conhecimento (intimidade com a arma escolhida) em paralelo com o terreno (recinto confinado, ambiente urbano ou campo aberto) e portabilidade do armamento. De forma geral, penso que deve-se optar por um calibre leve e comum, com boa energia e que possa ser usado tanto em arma curta quanto arma longa. Imprescindível que seja fácil de recarregar e portar claro. Eu iria de espingarda calibre 12 de repetição, pela variedade de munições disponíveis, e possibilidade tanto de uso para caça quanto defesa, puma 38 (para tiros mais precisos) e revolver 38 por terem munição extremamente comum. Já passei por alguns entreveros na vida policial, e posso assegurar que preferiria estar com um bom 38 T.A, que com a minha velha e vagabunda pistola 24/7 .40 Taurus (uma porcaria de arma) que ja vi falhar na hora H!

    • Carlos eduardo

      Concordo com tudo que disse

  • Olá pessoal,a melhor arma para mim é aquela que não falha e é boa de portar.

  • para defesa de um asilo, sua casa, sem duvidas vai ser a 12 de máximo magazine possível……

  • Eu acho que escolheria uma P250, porque além de ser de fácil manuseio e rápido carregamento, ela é leve e tem um longo alcance. Uma outra seria uma Magnum .40 que é bem mais potente, porém é pesada e exige um pouco mais de abilidade no manuseio.

  • Sem comentários.

  • também prefiro o revolver cal.38 spl, por ter um poder de parada superior ao .380 acp,inclusive, entre os calibres de uso permitido o .38 spl é o mais potente de todos.

  • Uma das coisas que gostaria de acrescentar é que a arma que você escolher pode influir no seu estoque de munição, coisas deste território com governo territorialmente estabelecido chamado Brasil.

    Pela nossa legislação caso você compre para a sua defesa um revólver ou uma pistola, você poderá ter no máximo 50 cápsulas por ano, isto mesmo, quando shtf chegar você provavelmente terá só 50 tiros ou algo próximo a isto, já que a cada ano você pode comprar apenas.esta quantidade de munição.

    Já se você optar por uma espingarda você poderá comprar até 500 cartuchos por ano.

    Claro, você pode responder que daria um.jeito de comprar munição ilegalmente, pode ser, mas eu não posso recomendar isto em um site de Internet.

    Outro ponto que sempre considero é que uma arma curta me.permite transportala de forma oculta e sacada rapidamente. Sei lá, mas nestas horas é bom não parecer ser um cara perigoso, algo como tipo um seal.

    Se você estivesse escondido com um cara na.sua mira que transporta uma.espingarda, você atiraria? Eu atiraria.

    Já se ele aparenta ser um mendigo e não parece estar armado eu.ainda pensaria duas vezes. Não que fosse algo como ser bom, mas sim que acharia que talvez ele não valesse o tiro e.revelar minha presença e posição.

  • Primeiro ponto a se considerar:
    Defesa pessoal contra o quê?
    Um bode no pasto?
    Uma onça?
    Civis sem treinamento?
    Militares ou milicianos treinados?
    Ambiente fechado ou aberto?
    Contra um bode no pasto uma simples marretada no lugar certo e no momento certo resolve.
    Contra uma onça de pouco adianta o que a vítima tiver em mãos pois terá de ser mais esperto e mais rápido que o bicho.
    Contra civis sem treinamento, basta derrubar o primeiro com qualquer coisa e os outros sujam as calças.
    Contra militares ou milicianos treinados, pode encará-los com uma Vulcan que eles o derrubarão com uma pistola e você não terá tempo nem de sujar as calças.

    Apesar de ser uma teatralização holywoodyana que não contempla detalhes técnicos óbvios, o filme “44 Minutos” ilustra mesmo que grosseiramente a realidade.
    O sucesso em qualquer situação vai continuar sendo a insubstituível união do conhecimento com a habilidade e a oportunidade.

  • Tiago Bushman

    Só de podermos falar sobre armas já dá um “ar de liberdade”!!!
    Todos os posts vejo como certos.Cada um deve se sentir bem e confiável com o que adquiriu, DESDE QUE saiba como usar e na hora certa de usar.
    Eu tenho um Taurus cal.38 RT838 inox de 6 pol. + uma escopeta Boito cal.36 + uma pistola Taurus cal. 22 e tenho situação pra todas elas nos cenários mais variados. A escopeta Boito parece “frágil” , mas leva 11 chumbos 3T que fazem um estrago admirável, além de ser leve e robusta.E com ela ainda posso caçar um almoço sem fazer estrago na carne.
    A Taurus RT838 é confiável, precisa e acerta um alvo em 50 metros, com um recuo mínimo, pelos seus 15,24 cent. de cano. A pistola PT22 Taurus importei dos EUA e é só pra defesa a queima roupa em uma situação somente de baixíssima ameaça, quando vc não pode portar mais nada , como em um local com grande atividade pública.Já usei esta como defesa pessoal em uma tentativa de assalto e “botei o cara pra correr”. Comprei também pensando no uso dela por minha esposa, que é professora do Estado, e se resolver acertar um aluno , pelo menos não mata!!!…rsrsrsrs.
    Brincadeira?…nada….tem marido de professora aí?
    Agradeço poder participar.Sou militar reformado, tenente da artilharia, cresci com armas desde os 10 anos de idade, atirei mmuuiittooo, e cheiro de pólvora é minha “droga”.
    Brincadeiras a parte, vejo a cada dia o mundo parecer mais ameaçador, e o que para muitos parecia ser ridículo possuir conhecimentos de sobrevivência, hoje é tão palpável quanto a possibilidade de uma guerra mundial.
    Não fiquem em casa limpando faca e engraxando bota …vão pro mato se f…. que é assim que se aprende!
    Até!

  • Júlio,
    Geralmente gosto muito de seus comentários e “posts”, mas neste sou obrigado a discordar quase totalmente.
    Tenho quase 26 anos de Polícia Militar, tendo trabalhado mais da metade desse deles na rua, à frente de Tropa e gerenciando crises das mais diversas (sou formado e instrutor de Operações Especiais).
    O pouco tempo passado na Administração foi no Departamento de Armamento e Munição, já que sou Atirador de Policial Precisão.
    Posso, portanto, contribuir com a mudança de algumas noções errôneas das quais Vc compartilha, como abaixo descrevo:
    a. GLOCK é um fenômeno de mídia e conveniência comercial: patrocina inúmeros eventos e paga para aparecer nos sucessos de ação de Hollywood, mas é uma porcaria como Arma de Defesa.
    Tem uma inclinação de empunhadura exagerada, que induz a um tiro instintivo muito alto;
    sua estrutura em polímero a torna frágil ao efeito prolongado de intempéries e diminui drasticamente sua resistência a Munições pesadas (como a .40, que trabalha com altíssimas pressões- um amigo meu explodiu a sua com apenas 10% de sobrecarga);
    seu gatilho de ação exclusivamente dupla é excessivamente longo, o que retarda o disparo e diminui muito a precisão;
    a ausência de travas externas causa disparos acidentais em situações de “stress” (pelo menos duas ocorrências na Casa Branca- com o “Secret Service”!!! que depois disso as trocou por SIG SAUER).
    O preço da GLOCK no Brasil é absurdo e ela não costuma aceitar muito bem a munição comum CBC .380 (falta de pressão em Calibres baixos provoca falhas de alimentação na GLOCK).
    b. As IMBEL, tanto em Cal .40 quanto .380 funcionam muito bem, têm mais capacidade de carregador que as GLOCK, aceitam todo tipo de maltrato e apresentam travas confiáveis, de fácil acionamento.
    Ao contrário do que muitos neófitos acreditam, o sistema de ação simples não retarda o saque e primeiro disparo. Com pouco treinamento, saca- se e dispara- se a Ar de Aç Simples mais rapidamente que uma de Aç Dup, com a vantagem de já no primeiro disparo a precisão ser total.
    O preço das IMBEL costuma ser quase metade da GLOCK.
    c. Para quem considera as IMBEL muito pesadas, a Argentina fabrica a Pst BERSA- de projeto similar à WALTER PP- em Cal .380, vendidas legalmente no Brasil.
    Pode ser facilmente dissimulada na cintura e tem a mesma capacidade da GLOCK.
    Sua estrutura não chega à robustez da IMBEL, mas aguenta muito mais porrada que uma GLOCK, também com vantagens quanto ao custo.
    Com Mun +P Silver Tip da CBC o Cal .380 oferece razoável poder de parada, sendo facilmente encontrado em qualquer loja nacional e recarregado sem dificuldade, o que deve interessar em situação de sobrevivência (ao contrário do .40, só disponível para policiais, que não entregarão facilmente sua Mun em caso de crise).
    d. Para “Back up”, a opção de Rev .38Spl só se faz ideal caso o sobrevivente queira aproveitar a relativa disponibilidade desse Cal no Brasil, pois um cano de 2 Pol não oferece muito mais poder de parada ou penetração que o .380 disparado por uma Pst pequena como a PPK, com mais de três Pol de cano, esta sim uma alternativa mais racional, já que pode ser portada na perna com muito mais conforto do que um TAURUS “Snuby” e usaria a mesma munição da Ar de Coldre (IMBEL ou BERSA).
    Apesar de ser até mais cara que a GLOCK, é quase que um bom investimento, já que se trata de um ícone cinematográfico quase real (baseado na experiência de um pesquisador de armamento e equipamentos de espionagem, que sugeriu a Yan Fleming que trocasse a BERETTA 6.35mm/ .25 Auto do Agente 007 pela PPK 7,65mm/ .32 Auto, já quando da redação de “Dr NO”).
    Pode ser adquirida em aço inox e um renomado Delegado da PF Brasileira não saía de casa sem a dele, em Cal .380.
    Pessoalmente só não adquiri ainda a minha por falta de Tempo ($) e por estar satisfeito com minha BERETTA 7,65mm da IIGM.
    Espero ter contribuído, mais do que enchido vossa paciência com minhas opiniões, mas não posso deixar um cara tão esclarecido como Vc se deixar levar por “modinhas” sem ao menos apresentar meu lado da questão.
    Para qualquer esclarecimento, contra argumentação ou só um papo, estamos à disposição.
    PRONTO e À ESPERA!
    FORÇA e HONRA!!
    CAVEIRA!!!

  • Acredito que uma boa arma seria uma espingarda pump no calibre 20. Pois pode se utilizar munição carregada com balote para caça de animais de pelo de médio porte como os do Brasil ou carregada a múltiplos bagos para caça de aves e animais de pequeno porte e no caso de defesa pessoal ambas as munições são suficientemente eficaz. Além do mais ela é um pouco mais leve que a calibre 12 e sua munição ocupa menos espaço, pena que é pouco difundida no Brasil

  • Jose Mauricio Rodrigues

    Considerando a legislação que existe em nosso pais, dentro de um cenário de crise um revolver 38 é a melhor opção, e junto com uma carabina puma 38 teremos uma boa combinação com um só tipo de munição, e o 38 não é complicado de se recarregar os cartuchos e fundir as balas de chumbo, deve-se admitir que em cenário de crise não haverá munição para comprar.

    • Concordo com esta opção.

    • É isso mesmo.
      em tempos de crise, quanto menos firula e quanto mais disponibilidade melhor.

    • Luís Carvalho

      Concordo. A Carabina Puma é muito boa, principalmente a campo aberto, bom alcance. Capacidade de até 12 munições, pra quem pensa em BOL Rural é um grande opção. A Taurus fabrica o .357 se não me engano e ele calça .38, ou seja, maior variedade de munição. A Pump 12 é bastante difundida, mas eu optaria pelo Puma no cenário Rural.

  • Olá, já fui instrutor de tiro e nessa longa caminhada digo que, pra quem nunca atirou ou tem pouco conhecimento na área (novato), um revólver seria a melhor opção, fácil manuseio, se a munição falhar é fácil de desenrolar, hoje em dia temos revolver com 8 tiros, que de uma certa forma, dão conta do recado, já uma pistola precisa ter mais conhecimento e prática com a coisa! São mais munições, isso ajuda muito, da mais conforto e segurança, mas seu manuseio e manutenção requer mais conhecimento específico.
    Esse conceito eu aplico na defesa pessoal em lugares bem urbanos, casa, prédio, lugares fechados.
    Em áreas abertas a coisa muda bem de situação.

    Já tive uma Glock 25, ótima pistola, leve, trava interna e no gatilho, agiliza muito na hora que a coisa “pega”! Boa de briga, aguenta o tranco fácil, pra uso pesado não há melhor! Empunhadura confortável, e um ponto que achei muito positivo em relação as outras pistolas que tive oportunidade de praticar, o enquadramento do alvo é super fácil e rápido, mesmo para os que não tem muita prática com pistolas, fica bem fácil fazer o enquadramento com uma Glock, recomendada!!!

    Comanf.

    • Vc disse que “já teve” uma GLOCK. O que aconteceu com ela ? Quebrou, explodiu ou derreteu? brincadeirinha !!!

      • Fiz uma besteira, fui morar fora do país e não tinha ninguém em quem eu confiasse, então vendi…
        Arrependido até o último fio de cabelo..!!

  • Julio, fugindo um pouco do assunto… o que você me diz sobre o desempenho das facas retrateis nautika ?

  • Yoseph Makabi

    Depende do ambiente em que vai acontecer o conflito. Num recinto fechado, em becos ou ruas estreitas um revólver calibre .38 dá conta do recado. Em ambientes mais espaçosos, um quintal, avenida, sítio, e outros semelhantes o melhor seria uma arma de maior alcance e maior capacidade de tiro. Particularmente, no mato eu ainda prefiro uma boa carabina cal. 22 e em ambientes fechados ou apertados o velho revólver cal. 38.. Nada de pump, nem ola, nem ocha nem ucha. Essas coisas podem dar pane na hora do aperto ou então o cara fica nervoso, tem pouca habilidade ou intimidade com a arma e aí vira defunto. O inimigo que se combate também é de suma importância. Tem doido que não se intimida com ameaças e você tem que atirar, pra matar, pois se ficar ferido o cara pode te comer na faca. É complicado essa coisa de “defesa pessoal”. Qual o cenário? Qual o inimigo? Qual o teu preparo? Qual a tua disposição?
    SELVA!!!

  • Para Defesa Pessoal, costumo indicar a Cal.12 para quem sabe manusear uma Arma de Fogo e/ou um revolver.38 que é mais fácil de operar.Lembrando que, apesar das controvérsias, um revolver para uma mulher sem muita noção de tiro, se a munição falhar, só apertar novamente o gatilho que a próxima funciona!!!Hehehe!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s