Considerando os prós e contras da energia eólica

Se você tem se preocupado com a fragilidade do sistema elétrico brasileiro e começou a pensar em alternativas, seja bem vindo ao clube. Faz certo tempo que venho pesquisando maneiras de gerar energia de forma independente ao sistema, então decidi compartilhar os resultados que encontrei. Hoje lhes trago um aglomerado de prós e contras relacionados ao uso da energia eólica.

Vamos lá?

Prós 

  • A criação de energia eólica é “limpa”. Diferentemente do uso do carvão ou óleo, gerar energia do vento não produz poluentes ou requer quaisquer químicos perigosos;
  • O vento é gratuito. Se você vive em uma localização geográfica que recebe muito vento, ele está ali para ser aproveitado;
  • Por ser uma fonte renovável, o vento nunca poderá ser esgotado como outros recursos já utilizados atualmente (Petróleo);
  • A companhia de energia poderá acabar lhe devendo. Se você gerar mais energia do que precisa, isto poderá ser injetado na rede e você ganhará créditos para reduzir a sua conta quando for necessário ou até mesmo aplicá-los em outra unidade (seu trabalho, casa de amigos e afins);
  • O custo de produzir energia eólica caiu consideravelmente nos últimos anos e, conforme ganha popularidade, vai continuar ficando mais e mais acessível (dentro dos padrões “acessíveis” brasileiros, claro);
  • Geradores eólicos podem providenciar energia para muitas casas. Você não precisa ter uma turbina para ter os benefícios, você pode se agrupar com alguns vizinhos e adquirir uma que dê conta de alimentar todo o grupo;
  • As turbinas eólicas são consideradas como “bonitas” por algumas pessoas;
  • Apesar do investimento inicial ser alto, a rentabilidade é enorme visto que muitas turbinas só precisam de manutenção a cada dez anos;
  • E por último, lhe dá a capacidade de ser independente da rede em termos de energia elétrica.
  • O vento não sopra de forma consistente, tanto que as turbinas geralmente operam com apenas 30% de sua capacidade. Se o vento não está à seu favor, você pode acabar sem eletricidade (ou pelo menos terá de voltar à usar temporariamente a energia da rede);
  • Tempestades severas ou ventos muito fortes podem causar danos à sua turbina, especialmente se forem atingidas por um raio;
  • As hélices podem oferecer risco para a vida selvagem, particularmente aos pássaros;
  • As turbinas criam um som constante de aproximadamente 60 decibéis, então se você não tem espaço para deixá-la mais afastada de sua casa (idealmente 200mts), isso pode ser um incômodo;
  • Algumas pessoas acreditam que turbinas eólicas são feias, então alguns vizinhos podem reclamar;
  • Em cenários de crise, poderá ser um grande chamariz de que você ainda têm energia (este pesou muito para mim);
  • Dependendo de onde você mora, é importante verificar se as leis não vão lhe dar problemas (como por exemplo limites de altura de construção);
  • As turbinas são caras, deixando o investimento inicial assustadoramente alto. Dependendo de onde você mora, talvez seja difícil achar alguém para fazer as manutenções necessárias;
  • Turbinas eólicas podem interferir na recepção de sinais de televisão ou outros equipamentos.

Por enquanto não há a solução perfeita. A energia eólica tem muitos benefícios, mas seus lados negativos ainda seguram grande parte das pessoas interessadas. Até onde pude ver, a solução mais adequada é ir de forma híbrida, ou seja, solar/eólica, mas isso é assunto para outro post.

Espero que você tenha gostado desta simples análise e que ela sirva de “combustível” para você pesquisar mais e quem sabe, fazer o investimento. Lembre-se que não estamos apenas perseguindo o ideal de “viver fora da rede” como também ajudando o mundo a durar um pouquinho mais por meio de iniciativas ecológicas como essas.

Até.

Fontes: GreenLiving, EnergyInformative e HomeRenovations.

PS.: O layout novo está demorando um pouco então decidi mudar o tema do blog para branco, assim vocês podem ler melhor. Está melhor assim?