Tufão nas Filipinas: E a história se repete mais uma vez

Suponho que todos que assistem jornais ou leem notícias online já estão sabendo do tufão Haiyan, que atingiu as Filipinas e destruiu praticamente 80% da cidade chamada Tacloban.

10nov2013---moradores-procuram-por-pertences-neste-domingo-10-apos-passagem-do-supertufao-hayan-na-cidade-de-tacloban-provincia-de-leyte-filipinas-o-tufao-haiyan-uma-das-tempestades-mais-fortes-1384059037547_956x500

Sabemos que o tufão levou mais de dez mil vidas (até agora) e também deixou rastros de destruição enormes, cenas realmente apocalípticas. Eu não vou falar sobre o desastre propriamente dito, pois você pode encontrar os detalhes em quaisquer sites de notícias. Hoje abordarei esta tragédia de forma mais analítica e com uma visão de preparação. 

Após o estrago imediato ser feito o grande desafio é lidar com um local destruído, sem leis e sem recursos. Deixo aqui um trecho retirado do blog Thoth3126 para começar a discussão:

“As pessoas estão ficando violentas. Elas já estão saqueando estabelecimentos comerciais, shoppings, apenas para encontrar comida, água, arroz e leite. Estou com medo de que em uma semana as pessoas possam matar por causa da fome, acrescentou o professor Pomeda.

Um homem, Edward Guialbert, perambulava entre os cadáveres para recuperar alimentos em conserva sob os escombros de uma casa. Mais adiante, um açougue que por milagre permaneceu intacto foi saqueado por uma multidão. Um comboio de ajuda da Cruz Vermelha também foi saqueado. Momentos após a passagem do tufão, as forças de segurança estavam praticamente ausentes. “

10nov2013---filipinos-saqueiam-loja-de-mantimentos-apos-passagem-do-supertufao-hayan-na-cidade-de-tacloban-provincia-de-leyte-a-tempestade-uma-das-mais-fortes-ja-registradas-matou-ao-menos-10-mil-1384079330688_956x500
Mais uma vez vemos a humanidade agindo como esperado. Somos uma espécie incrivelmente fiel ao comportamento em desastres. Observamos que sempre o estrago imediato do desastre é seguido do colapso da lei e a ordem…São pessoas saqueando, matando e fazendo tudo o que sentem que precisam fazer para continuarem vivos. 
Entendam que não estou desmerecendo a gravidade da tragédia ou culpando as vítimas pelo infortúnio, longe disso. Não deve haver estado pior do que  estar em sua cidade completamente destruída, morrendo de fome e com cadáveres de conhecidos e familiares espalhados pela região inteira. Pode ter certeza que estas pessoas não mais serão as mesmas. 

12nov2013---sobreviventes-do-tufao-haiyan-se-acotovelam-para-conseguir-uma-chance-de-embarcar-em-aviao-de-transporte-militar-c-130-em-tacloban-regiao-central-das-filipinas-nesta-terca-feira-12-1384228867663_300x200

O que eu quero enfatizar aqui é o fato de que a humanidade sempre será a mesma. Os saques, assassinatos e estupros aconteceram em todos
grandes desastres e continuarão acontecendo. É importante pensar que o Brasil teve muita sorte até hoje e não sofreu estragos tão intensos quanto estes, porém hora ou outra algo nos abaterá e devemos estar prontos para reconhecer os problemas envolvidos.
Claro que é muita presunção achar que suas preparações sobreviverão a tornados de 300km/h, porém independente de termos materiais, é importante pensar em termos psicológicos. Quais são os obstáculos que enfrentaremos?
Vamos pensar no melhor cenário possível, onde o desastre (seja qual for a natureza) não atingiu diretamente sua casa e não prejudicou seus familiares. Se o desastre ocorre e estamos bem, a primeira coisa a se pensar é que outros não estão.
  • O seu “melhor” amigo: Em uma situação de desastre tendemos a voltar as atenções para nossa própria sobrevivência. Logo, aquele seu amigo “parceiro pra caramba” poderá pular o muro da sua casa, tentar lhe matar e roubar tudo o que você tem… Principalmente se ele ria do fato de você ser um preparador. Se ele não conseguir, chamará outros e contará para muita gente que você tem recursos e não quer compartilhá-los. Você terá de se proteger de pais desesperados para alimentar seus filhos, logo entenda que medidas extremas serão tomadas pelos dois lados. Lembre-se que o anonimato de hoje é a segurança de amanhã;
  • Falta de recursos: Apesar de ser um preparador, ninguém consegue desconectar-se da rede por completo ainda. A falta de recursos com certeza se abaterá sobre você, porém em menor intensidade. Saiba quais são seus pontos fracos;
  • Doenças: Dependendo da natureza do desastre epidemias podem ocorrer. Corpos nas ruas, destroços acumulando os mais diversos problemas. Ter alguns itens de proteção contra isso é de suma importância (máscaras, luvas, medicamentos, produtos de limpeza e afins);
  • Falta de suporte: Entenda que de acordo com o desastre as coisas poderão demorar MUITO tempo para retornarem à normalidade. Até hoje existem pessoas em abrigos da FEMA devido ao furacão que abateu NY. A ajuda e o restabelecimento da ordem poderão demorar muito mais do que você gostaria;
  • Esqueça seus “direitos”: Direitos humanos é algo que inventaram para a sociedade. Se as coisas saem do controle, tenha consciência de que você não tem direito a nada e se não puder se garantir, será morto e deixado para apodrecer em qualquer canto.

Eu poderia escrever uma lista enorme de dificuldades que surgem pós-desastre, porém estas nunca seriam completas pois existem milhares de variáveis em jogo. A ideia deste post é somente chamar atenção à alguns pontos que os filipinos estão enfrentando, pois a partir da análise de tragédias alheias podemos formar uma imagem melhor do que pode ocorrer em nosso bairro, cidade, estado ou país.

Espero que nosso Brasil nunca passe por nada de tamanha magnitude, mas devemos estar preparados se caso este dia chegar.

Até.