O Medo de Estar Sozinho

Venho perguntando para alguns amigos qual seria o maior medo deles se caso algo ocorresse com o nossas vidas, e observei que a resposta que recebo constantemente é a famosa: “Acho que o maior medo que eu tenho é que ninguém que eu conheça, ninguém da minha família ou amigos, fiquem comigo.”

E isso faz bastante sentido, na verdade, entendo que seja uma das respostas mais sensatas que podemos dar à uma pergunta como esta, porque se pararmos para interpretar a resposta, veremos que é claramente uma forma de dizer que nós não conseguiríamos viver bem estando sozinhos, afinal de contas o ser humano é um ser social, e como ser social, devemos necessariamente nos manter insertos em uma sociedade, isso é o que nos separa de um estado de barbárie.

Nota-se que mesmo os índios, que tecnicamente são treinados para sobreviver, se agrupam em tribos, ou seja, seria muita ingenuidade acharmos que iríamos muito longe estando sozinhos, seria muita ingenuidade agir de forma sobrevivencialista sem que se tenha uma ideia de como inserir seus familiares e amigos em seu grupo.

Este é um pequeno texto, apenas para refletirmos um pouco sobre a necessidade de espalharmos os nossos conhecimentos, simplesmente porque sozinhos não viveríamos.

Obrigado.

Anúncios

11 Comentários

  • Fernando Toledo

    É a primeira vez que comento, então não poderia deixar de parabenizar lo pelo excelente trabalho que vem desenvolvendo.
    Referente ao assunto do post, venho pensando nisso a algum tempo, eu particularmente gosto de estar só, inclusive moro sozinho e na maioria das vezes acampo sozinho, mas sempre penso como a solidão seria complicada e até perigosa em casos de SHTF. Penso que o ideal seria formar um grupo sobrevivencialista, mas isto trás grandes complicações, como convencer ovelhas a se tornarem lobos, investirem tempo e dinheiro em preparações aprendizado e treinamento? Devemos trazer este tema em pauta com regularidade e se cada um de nós dermos nossas opiniões, poderemos chegar a melhor forma de fazer isto. Fato é que a solidão torna se quase inviável a sobrevivência a longo prazo.

  • Acho que sou misantropo demais para ter medo disso…

  • Olá galera do blog!
    Escrevo pela primeira vez e espero que não esteja falando besteira.
    Lendo o post, lembrei de uma história real de duas meninas, Amala e sua irmã Kamala que viviam com lobos na índia! É interessante observar que o ser humano necessita conviver em um meio social e pensar que sobrevivencialismo é correr pro mato sozinho é um grande erro, pois independente das influências que o indivíduo recebe em seu meio qualquer um sentirá a necessidade de encontrar um núcleo ou grupo para se sentir inserido na sociedade. Mas sempre é bom ter um momento para si só!

    • Exato Jefferson! O nosso maior trunfo na história da evolução humana é a capacidade de nos socializar com grande eficácia. Está em nossa genética a necessidade de estarmos com outros semelhantes, caso contrário não conseguimos nos manter saudáveis psiquicamente, fato cientificamente provado. Quando nos referimos à estar sozinho muitas vezes não falamos na questão “concreta”, e sim no sentimento que isso envolve. Como o Antônio disse no comentário aqui, é importante termos sim nosso momento de reflexão e isolamento, mas sempre tendo consciência de que alguém está a nos esperar.

      Abraços!

    • Na verdade, Amala e kamala eram uma fraude. Hoje se sabe que elas eram jovens com doenças mentais, e obrigadas pelo dono de um orfanato (chamado Reverendo Singh) a agir como animais para obter dinheiro.

      • Caramba, isso eu não sabia! Obrigado : )

      • fonte?

  • Oi Julio e turma do sobrevivencialismo, a pior solidão é a que sentimos quando ainda acompanhados. Quando nos damos conta que estamos sós mesmo na companhia de entes queridos, amigos ai a coisa pega, talvez seja a hora de procurar um bom medico. Quando vamos pro mato e é meu caso vou sozinho. Passo 3 dias , ou mais como agora que estou programando uma saída de 15 dias, mas sabemos lá no fundo que quando voltarmos temos alguem a nossa espera. Ficamos lá sozinhos, refletimos nossas ações, nossa vida. Recarregamos nossas energias, lemos um livro sem interrupção de ninguem, não tem buzinas , moto boys, só a Natureza com a qual interagimos.
    Solidão não é ruim, já ser solitário….

    Abraços

    • Concordo plenamente Antonio! Quanto à acampar sozinho, já não me animo. Principalmente pelo fato da região aqui apresentar muitas ameaças e se caso venho a me machucar em um local isolado e sem sinal de celular, estou morto..rs. Mas realmente temos de cultivar nossas relações com entes queridos para que sempre tenhamos um suporte, não importando as condições do mundo à nossa volta.

      Abraços.

  • Victor, concordo plenamente contigo. Vemos muitos que comentam sobre como vão “fugir para o mato” mas nunca entendemos o que farão sozinhos por lá… temos de reconhecer nossas fragilidades, e estas moram na solidão.

  • “A felicidade só é verdadeira quando compartilhada.” Filme a natureza selvagem. Acho que é por ai.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s