A Importância de Estar Vestido da Forma Adequada

A princípio parece loucura estarmos falando disso, afinal de contas em situações de risco ou sobrevivência nós normalmente não escolhemos a roupa que vamos vestir, mas imaginem que sobreviver é mais do que sair de uma situação de risco com vida.

Sobreviver também é garantir que você não se coloque em uma situação de risco à si mesmo, por exemplo, imaginemos a seguinte situação:

Você está andando na cidade e passa por uma avenida onde costumeiramente ocorrem assaltos, o que você pode fazer para chamar menos atenção de um possível marginal? Muito simples, dispa-se de seus objetos de vaidade, coloque no bolso ou na mochila, afinal, sair andando por ai mostrando o relógio bacana é uma forma de chamar atenção de bandidos. Andar com o seu celular de última geração à mostra também. Evite ao máximo ostentar objetos valiosos em situações como a descrita, vale também para o caso de você estar preso no trânsito com o seu carro, não fique dando bobeira com ele, lembre-se que pode-se ver pelo “Fumê”, “Película” ou seja lá como você chama aquele plástico que escurece o vidro do carro.

Agora vamos para uma situação mais “Sobrevivência”. Você se vê no meio de uma crise social, vou usar como exemplo uma enchente, supondo que você tenha investido com sucesso na aplicação de seus conhecimentos de sobrevivência, qual seria a forma mais adequada de buscar um abrigo para seus familiares, seus pertences e claro, você mesmo?

É óbvio que a forma mais adequada de fazer isso não seria vestido como militar, chamaria muita atenção e deixaria claro para as outras pessoas que dentro da sua mochila existem itens valiosos como comida e medicamentos ou ainda, poderia ser confundido com um voluntário ou com um militar de fato, isso na melhor das hipóteses atrasaria seu caminho. Ou seja, o melhor seria usar uma roupa de civil, pois isso garantiria uma discrição mínima e facilitaria muito seu trabalho.

Vale lembrar que na sobrevivência temos que primeiro cuidar de nós mesmos para depois cuidar dos mais próximos e assim por diante. Principalmente se formos os únicos com conhecimento sobre o fato enfrentado, ou de primeiros socorros, enquanto você ficar bem, estará hapto a garantir que os outros se mantenham bem.

Vou citar por exemplo alguns exemplos de roupa extra que deixo dentro das minhas B.O.Bs.

B.O.B para viagem – Camisa laranja neon e calça jeans leve. O laranja chama muita atenção então se você furar o pneu ou algo do tipo e tiver que ficar na estrada trocando, a camisa vai ajudar a chamar atenção dos motoristas. Claro que ela também pode ser usada para sinalizar, no caso se usada como bandeira ou algo do tipo.

B.O.B para acampar – Levo sempre na mochila uma farda militar com camuflagem woodland em rip-stop, pois ajuda muito usar esse tecido em locais onde lavar as roupas com frequência não é possível já que ele seca rápido. Também ajuda a proteger o braço e as pernas de espinhos, diferente do jeans que fica prendendo em qualquer galho pontudo.

Bem basicamente isso, espero que gostem, qualquer dúvida comente abaixo, posso também complementar o texto caso apareçam novas idéias interessantes.

Anúncios

11 Comentários

  • Obrigado pelo tok das meias MRRG.

  • Bom a muito me visto com moderação, nada chamativo na área urbana , tênis simples , relógio de 20 mangos , e quando acampo ou estou no mato, uso calças de rip-stop, camisetas de polyester ou dryfit, secam rápido e são respiráveis. Agora para o inverno, comprei um conjunto calça e camiseta de tecido lã underwear, uma blusa de fleece para completar aroupa do mato. Estou sempre na mata Atlântica , na cidade de Tapiraí e lá o frio é simplesmente terrivel e com muita umidade. A jaqueta e para iatismo forrada e impermeável , tudo comprado com bom preço numa loja de equipamentos que faz parte da Leroy Merlim, não cito o nome pois não sei se poderia .
    Até.

    • Olá Antônio,

      Bem vindo ao blog! Ótima combinação para fazer trilhas e acampar. O segredo é realmente buscar aquilo que dê resistência, conforto, durabilidade e seja leve…. é difícil, mas com certeza vale a pena estar vestido apropriadamente no mato! A propósito, fique à vontade para citar a loja amigo, aqui estamos buscando por conhecimento então toda fonte é válida!

      Abraços!

  • Verdade, a vestimenta é realmente importante!
    Roupas desconfortáveis ou inadequadas podem aumentar o desconforto em uma situação de sobrevivência e não oferecer a proteção adequada, podem trazer transtorno no dia-à-dia ou podem passar uma impressão errada sobre que às esta usando. Este é um assunto que deve ser pensado mesmo.
    Não podemos esquecer dos calçados, afinal é muuuito importante proteger os pés e deixa-los intactos pois as chances de um sobrevivente diminui drasticamente quando ele tem sua locomoção prejudicada.
    Adquiri um coturno para usa-lo em minhas pescarias e depois de te-lo experimentado não irei mais para o mato seu o meu coturno. O coturno é muito confortável e oferece uma ótima proteção além de ser bem resistente, estou satisfeito!

  • tenho uma dúvida, estava pensando em comprar uma calça em rip stop mas não sei se o tecido é muito quente no verão ou muito frio no inverno, ou se o tecido não é muito duro e difícil de se mover, ou qual tipo de tecido que poderia usar para fazer trilha.
    valeu!

    • Olá Jean,

      O bacana do rip stop é que ele é bem resistente, não rasga fácil e demora muito para ficar gasto. Para trilhas eu suponho que outros tecidos são mais interessantes, pois facilitam a transpiração da pele e etc. Mas para acampamentos é uma boa sugestão sim, não é quente, o que requisita que você utilize outras roupas por baixo em temperaturas inferiores a 18°. O tecido só fica duro se for engomado, mas creio que não é necessário fazer tal processo.

      Abraços!

      • Lembrando que se for comprar rip-stop, é melhor comprar preto, ou marrom, algo menos militar.

  • Eu estou, pouco a pouco, substituindo as roupas de algodão que ainda tenho por outras de 100 % poliamida, que gerenciam muito melhor a temperatura corporal. E são baratas, para ajudar. Comparativamente, pelo menos. Tanto faz se é para mato ou selva urbana. São as mesmas.
    Acabei de desembalar um par de meias de 51 % de lã de merino, 25 % de acrílico, 17 % nylon, 1 % borracha, 6 % sabedeus. Uma belezura. A preço de casca de banana.
    Roupa de padronização militar considero um equívoco; e como material, um atraso. O Giuliano Toniolo fala, em um vídeo recente, sobre a desmilitarização que ele mesmo anda sofrendo. Animador.

    • Olá MRRG se for possível de um tok onde comprou as meias, pois só achei por um preço salgado.
      Abraços

  • Anderson Mendes

    Bom, pensei em outros termos quando li o título deste texto. Pensei em falta de roupa em lugares de frio extremo, como os combatentes brasileiros na Segunda Guerra ou aos alemães na frente russa no inverno siberiano. Pensei também em camisas de manga curta em locais cheios de mosquitos e sem repelente., etc.
    Mas aí, pensei que há anos que não uso o tradicional traje branco dos médicos, nos meus plantões nos PS das periferias pobres onde trabalho! Deixei de vestir-me diferente porque assim chamo menos a atenção dos bardeneiros e revoltados com o descaso com a saúde pública. Sou o representante mais próximo do poder público que não dá a mínima para a saúde de ninguém, e acabo sendo o alvo de xingamentos e agressões físicas. Uma delas já me deixou trinta dias afastados de minha função devido a fratura da mão. Isto ocorreu após um enfrentamento com um bando de acompanhantes descontentes. Eles queriam que eu abonasse a falta ao trabalho de um bêbado que passou a noite inteira no bar.
    Abonaria se ele permitisse que eu escrevesse como causa da falta ao trabalho, a causa verdadeira, isto é, intoxicação alcoólica! Como ele se negou a recebe-lo como havia redigido. porque ele sabia que seria dispensado do trabalho, neguei dar outro com causa fictícia! Ele se revoltou e incendiou os seus acompanhantes e aí , vieram as agressões!!
    Por falta de segurança muitos médicos já deixaram de trabalhar no serviço público!
    Não ando com cracha também! Atrai problema!
    Para chamar atenção da falta de segurança já fui trabalhar com taco de beisebol! Os pacientes olhavam espantados! A mesa , o médico, o estetoscópio e o taco ao lado da mesa para qualquer eventualidade! Só deixei de usa-lo quando colocaram um guarda municipal para servir de fator de inibição mínima!
    As vezes, ainda uso um aparelho de choque portátil! Só usei uma vez!
    Tem que ser bom, mas não bobo! Bondade com firmeza! Impor respeito, encarar cara feia, e contar com a sorte!
    Não só o traje certo para a hora e o local certos, mas também atitude e comportamento apropriados para enfrentar o caos de todo dia! Um teste de sanidade que as vezes acho que vou reprovar!
    Não é só na Saúde! Meu cunhado é delegado de policia e há muito não usa terno e gravata tradicionais! E os motivos são os mesmos acima apontados por mim, só que no contesto de um ambiente de eterno conflito! Ele é uma mistura de monge e ]Rambo!
    É isso! Adapte-se ou peça para sair!
    Até!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s