Infância e sobrevivência: Como ficarão as novas gerações?

Graças a nossa moderna tecnologia e cultura consumista, o que antes era conhecimento comum foi em grande parte perdido. A maioria das pessoas hoje não sobreviveria uma hora sem os seus Iphones… prefiro nem mencionar o quanto durariam em ambiente selvagem.

Quando eu era mais jovem eu costumava ir a chácara todo final de semana. Lá eu pescava, atirava com estilingue, subia em árvores, aprendia a fazer armadilhas para passarinhos, limpava galinhas e ajudava na horta. Quando cheguei aos meus 12 anos tornei-me escoteiro e lá aprendi muito sobre os conhecimentos mateiros. Fato é, estas  experiências reais  me ajudaram a lapidar quem sou e deu a fundação para tudo o que eu sei sobre sobrevivência. Hoje, quantas crianças saberão como dar um nó de pescador?

Eu com 12 anos no meu primeiro acampamento escoteiro.

O conhecimento real de “como fazer” vêm da experiência. Não vêm de seus equipamentos importados da NASA, seus acessórios touch screen e definitivamente não é algo que você pode ler em um livro (nem em um blog, vale dizer). Habilidades de sobrevivência reais vem de uma história de vida de aventuras e experiências. Sem essas experiências você nunca estará verdadeiramente preparado para sobreviver.

Infelizmente, nós vivemos em um tempo onde a maior aventura que grande parte das crianças vão vivenciar é ver outra pessoa se aventurando no mato (leia-se Bear Grills). Eu acho uma tragédia o fato delas não terem nem a chance de conhecer um pouco sobre o vasto mundo fora de suas casas e cidades. Eles não estão perdendo somente o que eu considero habilidades valiosas e vitais, mas também estão perdendo uma vida de aventuras e diversão.

Não deixe seu filho contar como ele conseguiu “zerar” jogos de videogame como se esta fosse a experiência mais incrível da vida dele.

 Se você tem crianças, leve-os para o mato! Ensine-os a caçar, pescar, trilhar e acampar. Encoraje-os a experienciar as aventuras que uma vez foram parte da vida cotidiana.

Traduzido e modificado da fonte: Off Grid Survival

Anúncios

6 comentários

  • Muito bom o texto!
    Infelizmente além dos empecilhos que desestimulam os jovens de hoje em ter interesse pelas coisa que faziam e fazem a nossa alegria antigamente tem também a falta de tempo dos pais em apresentar pessoalmente aos seus filhos o mundo fantástico da natureza.
    Um pequeno amigo e vizinho meu, de +ou- 8 anos me confidenciou que tinha muita vontade de ir pescar mas que o pai dele nunca o tinha levado. Queria leva-lo ao sítio do meu sogro mas a mãe dele não permitiu que ele fosse pq iríamos de moto…
    Entendo a preocupação dela e também vejo pelo lado de que se algo acontecesse, mesmo que não fosse minha culpa, a responsabilidade recairia sobre mim. Só acho uma pena essa super proteção que não permite às crianças crescerem mais independentes. Seja o que vier, filho ou filha vai me acompanhar em minhas pescarias, assim se ele ou ela desejar.

  • Anderson Mendes

    O Escotismo é acima de tudo formador de caráter! Tive contato com o movimento atraves de minha irmã e colegas de juventude, mas digo que mesmo este movimento enfrenta dificuldades com falta de líderes para as crianças. Foi uma das razões pelas quais meu filho não se adaptou ao Escotismo/Bandeirantismo. supro em parte a formação que tive e que ele não tem com a educação religiosa e moral, mas que não abarca tudo!

  • muito bom, porque hoje todo mundo vive em função de computador, tudo eletrônico, tudo automatizado, eu acho isso um péssima coisa.

  • Ótimo texto Júlio! Parecia que estava falando especialmente para mim. Tenho 3 filhos (14 anos, 12 anos e 7 anos). O mais velho não tem outro interesse na vida, que não seja o computador (o qual limito as horas diárias)! Me preocupo muito com isto. Eu mesma gosto muito de aventuras, ir para a natureza, acampar, ir para chácaras, fazer trilhas de bike, mas quando levo o mais velho por exemplo, ele reclama que não tem computador. Também por eu não ter carro, não há como ir muito nestas aventuras. Mas depois de ler este texto, estou pensando seriamente em colocá-los para participar em um grupo de escoteiros! Obrigada!

    • Lu,

      Sendo bem sincero contigo, o escotismo me mudou bastante. Antes até me denomino de “Guri criado em casa com tapete”….rs. Lá não ensinam apenas amarras e sobrevivência, mas ensinam valores, respeito, trabalho em equipe e liderança.

      Claro, só vale a pena se eles tiverem interesse, caso forem forçados de nada adiantará.

      Abraços.

  • Ótimo texto Julio!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s