Tecnologia, até onde podemos confiar?

Um dos pensamentos que estão sempre em minha cabeça é no quanto devemos depender das novas tecnologias para uma situação de sobrevivência.Não estou discorrendo apenas sobre as tecnologias do cotidiano, mas especialmente sobre aquelas que podemos utilizar em caso de trilhas, acampamentos, catástrofes e outros.

Nesta categoria encontramos os equipamentos GPS, lanternas led, fogareiros a gás e muitas outras parafernálias que carregamos para tornar a sobrevivência (urbana e de selva) mais confortável. Mas me pergunto… Será que podemos confiar nestes aparelhos? Não estamos nos expondo ao risco de ficarmos de mãos vazias caso estes falhem? Procure na internet e você verá repetidos relatos de falhas desses equipamentos. Para exemplificar recorremos ao GPS, que já contabiliza cerca de 300 mil acidentes causados por falhas nos EUA (Imagine no Brasil, onde os recursos de navegação são muito mais escassos).

A falha desses equipamentos pode colocar você em perigo ou até mesmo causar danos à sua integridade física.

Não sei quanto a você, mas eu ainda me considero mais “moda antiga”. Decoro os caminhos que devo percorrer depois de consultar o mapa, cozinho com brasa e prefiro iluminar meu acampamento com o brilho de uma bela fogueira e da lua. Compreendo que é muito importante termos equipamentos para facilitar nossa estadia na selva ou até mesmo na cidade (estes podem até nos salvar), porém creio que não podemos nos esquecer dos modos de funcionamento mais primitivos, usados a centenas de anos e que nunca deixaram nossos antepassados na mão.

O que você acha? Sinta-se à vontade para opinar sobre qual o limite de dependência que devemos ter de equipamentos tecnológicos. Espero seu comentário para iniciarmos uma boa discussão.

Fonte: Off Grid Survival 

Até.

Anúncios

3 Comentários

  • Diego Ferreira da Silva

    Cara, notebook no mato, lampião solar, celular…. tecnologia no mato, chácara ou fazendas, pra passeio, pra mim só um relógio e uma roupa confortável, se quer levar itens para acampar, carregue o que é importante (água, algum alimento, isqueiro, blusa de frio, e por ai vai, dependendo de cada situação), um rádio pegando umas musiquinhas ou o jogo na fazenda ainda vai, mas se você é dependente destas tecnologias novas, melhor ficar soltando pipa no apartamento na frente do ventilador….
    Tecnologia é bom sim, mas pra trabalho ou na comodidade do dia-a-dia, no lazer no campo, acho que as pessoas deviam começar a curtir mais a vida dos matutos. Parece até aquele ditado “quem desdenha quer comprar”, mas se a pessoa não vai escalar o everest ou saltar de paraquedas, determinadas tecnologias não passam de bagagem sem função, e alías, tem muita gente que sofre com falha humana na hora de operar determinadas tecnologias, justamente pelas comodidades que elas trazem. A máquina pode ser programada para não errar, mas o ser humano é falho. Isso é um fato.

    Até mais……

  • Beeeem mais barato. Acho que hoje temos uma geração meio “geek selvagem”, que levam até painéis solares para recarregar seus notebooks no mato…

    Estranho.

  • A tecnologia nos é favorável até certo ponto, mas ainda estou com você nessa de que devemos confiar em certas formas primitivas, pois a tecnologia pode chegar a ser falha e nós meros mortais “ficarmos na mão.” O que vale é ter equipamentos tecnológicos mas sempre outra forma primitiva. E também sai mais barato. rsrsrsrsrs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s