Resultados da pesquisa por: SHTF School

Ler mais

Irma e San Martín: O desastre vai muito além do furacão – No fio da navalha Ep.20

O que muitos não levam em consideração é que o furacão é só o começo do desastre. A total destruição da infraestrutura urbana, corte dos meios de acesso ao local afetado e condições sanitárias em constante degradação mostram que o cenário pode ficar muito pior depois que o já furacão não existe mais.

As dez principais habilidades para sobrevivência urbana

lens18998904_1325135148urban_survival_manual_cra

Inspirado na postagem do Selco sobre questão de equipamentos e habilidades, fiz uma pesquisa em outros blogs sobre quais seriam as habilidades básicas que podemos adquirir. Mesmo que não seja para um SHTF (Fim do mundo como conhecemos) real, muitas delas serão úteis para o cotidiano e imprevistos e cruciais para a auto suficiência que muitos desejam.

The Darkest Hour – Heróis, Covardes e Armas

Ontem, resolvendo sair mais cedo do escritório, e precisando comprar uma camiseta para usar na academia (estou tentando entrar em forma, graças ao blog…), circulando pelo shopping resolvi assistir “A Hora da Escuridão”. Não havia visto nada sobre o filme, mas como o diretor é conhecido de um filme russo “Guardiões do Dia”, muito bom, resolvi assistir. Fique tranquilo, não vou contar o filme. Mas, basicamente, somos atacados por monstrinhos elétricos (não, não são “Pikachus”…) que matam quase todo mundo.

Enquanto via o filme, não podia deixar de lembrar do Selco, e sua experiência em sobreviver um ano em uma cidade sitiada. No filme, o covarde morre tão rápido quanto o herói. Quem sobrevive? O “malaco”….mas não por o ser, mas sim pela DETERMINAÇÃO em sobreviver. E se pensar em situações extremas, a sobrevivência é algo que depende de determinação. Absoluta. Sobreviver é algo feio, como já dissemos em posts anteriores. Não há espaço para a covardia ou para o heroismo sem sentido. Custer quis ser herói e levou suas tropas ao matadouro em Little Bighorn, nas mãos de Touro Sentado e Cavalo Louco.

Outra coisa que me chamou a atenção é o fato de que quando explode a confusão todos pensam em armas de fogo, ou em meios militares. Isso é curioso. Já vivi situações onde “anti armas” perguntaram se ninguém estava armado, em especial durante situações com risco de assaltos ou coisa pior.