ARROZ: A BASE DA PREPARAÇÃO

O arroz é um dos grãos mais consumidos do mundo, inclusive nosso país é o maior produtor e consumidor de arroz fora da Ásia. Esse grande hábito que muitos brasileiros tem de consumir arroz todos os dias faz com que dentro da comunidade de preparadores seja esse grão a base dos estoques de alimentos.

Apesar de ser de grande importância, é ínfima a quantidade de Sobrevivencialistas que poderão produzir esse valioso recurso alimentício. Cultivar arroz não é fácil e nesse artigo vamos passar por alguns aspectos da sua produção.

Sistemas de cultivo

O arroz é basicamente uma cultura de verão, plantada sempre no início da primavera. Ele pode ser cultivado em vários sistemas, sendo que os mais usados são: convencional, direto e pré-germinado.

Convencional: É feito o trabalho mecânico com arado e/ou grade depois plantado em linha com plantadeiras ou a lanço com semeadeiras depois banhado a área;

Direto: É dessecado a área com herbicida ou amassado com rolo e depois feito as valas plantado em linha com plantadeira;

Pré-germinado: Onde a semente é plantada com o processo de germinação já em andamento.

Abaixo no texto vamos tratar do método pré-germinado que é muito utilizado. Todas as etapas de produção são muito simples, entretanto dentre de cada uma delas é preciso ter conhecimento das técnicas necessárias.

Preparo do solo

As operações de preparo de solo objetivam adequá-lo da melhor forma possível a semeadura e a manutenção da uniformidade da lavoura, além de facilitar a execução das práticas culturais durante todo o ciclo. Essas operações podem iniciar-se logo após a colheita e estender-se até poucos dias antes da semeadura.

O preparo deve ser feito preferencialmente em solo seco para evitar a proliferação de plantas daninhas aquáticas, especialmente de grama-boiadeira. O preparo do solo não deve ser feito muito próximo da época de semeadura porque a incorporação de plantas e outras fontes de matéria orgânica ao solo sob inundação produz compostos que intoxicam as plântulas de arroz, além de metano que é um gás causador de efeito estufa.

Antes da semeadura, promove-se a inundação e a formação de lama nos quadros para possibilitar o renivelamento e o alisamento do solo. O adequado renivelamento e alisamento do solo possibilitam um bom manejo da água, que, por sua vez, é determinante no sucesso de controle de pragas e plantas daninhas.

Adubação

A adubação em arroz irrigado é uma das práticas mais importantes para a obtenção de alta produtividade. Antes de se escolher o adubo, deve-se efetuar a análise de solo, para que se saiba exatamente quais nutrientes e qual quantidade a ser aplicada para a melhor relação custo/benefício. A toxidez por ferro é um importante distúrbio nutricional das plantas de arroz causado pelo excesso de ferro no solo, cujos efeitos negativos podem ser amenizados através de práticas culturais.

Colheita

O ponto de colheita é determinado pelo teor de água dos grãos. Para a produção de grãos destinados ao consumo, o teor de água no grão, na média da lavoura, deve estar em torno de 20% para todos os cultivares. Quando a produção se destinar para sementes, é recomendável iniciar a colheita quando os grãos apresentarem umidade em torno de 22%.

Após a colheita, deve-se proceder imediatamente à secagem dos grãos para até 13% umidade. A secagem pode ser feita em secadores do tipo intermitente, empregando-se inicialmente temperaturas amenas, e mais altas no final do processo de secagem. Também pode ser feita a secagem em silo em que é empregado ar forçado para a retirada da água dos grãos.

O atraso na colheita pode ocasionar redução no rendimento de grãos inteiros no beneficiamento para arroz branco, pelo aumento do trincamento dos grãos na lavoura e durante o processo de trilha, bem como perdas na qualidade de sementes.

O armazenamento do arroz deve ser feito em locais ventilados e secos, com possibilidade de controle de insetos e ratos. Para isso, é necessário dispor de condições para efetuar expurgos, aeração ou controle de temperatura, objetivando preservar as características iniciais dos grãos ou das sementes.

Conclusão

A produção de arroz é difícil e trabalhosa, exige maquinário nem que seja o mais simples possível. Torna-se inviavél para a maioria dos Sobrevivencialistas.

Se você tem essa capacidade invista na produção desse grão tão importante na alimentação. Esse texto não serviu somente para quem tem alguns hectares de terra e pode plantar arroz, você que agora tomou consiciência da complexidade do processo e não pode produzir arroz, dê um foco maior nesse alimento nos seus estoques, caso ele acabe, produzí-lo não valerá a pena e o preço subirá bastante na falta do produto no mercado.

Texto escrito com colaboração de Vinicius Martinenghi.