Como fazer um estoque de comida eficiente?

Agora você talvez esteja pensando: “Mas não é só comprar a sardinha e colocar na prateleira?”.

Para que seu estoque funcione de uma forma eficiente… Não. As dicas desse texto servirão para quando você for revisar o seu estoque! Afinal, ninguém quer se deparar com um monte de comida estragada na prateleira.

QUANTIDADE

A primeira coisa que você precisa saber é o quanto de cada item precisa. Não se pode comprar uma quantidade enorme de comida se você mora sozinho e não vai conseguir consumir dentro do prazo de validade dos produtos.

A conta aqui é extremamente simples. Considerando que sua família é composta por quatro pessoas e que comem em um dia 400 gramas de arroz, 400g x 30dias= 12.000g, ou seja, em um mês são consumidos 12kg de arroz. Essa é a quantidade exata, se possível crie uma margem de erro e compre 13kg. Agora basta fazer a equação em relação a quantidade de comida para o determinado tempo que almeja armazenar.

TEMPO

Esse tópico é bem óbvio, você não pode deixar que os produtos ultrapassem do prazo de validade, se não todo o seu investimento vai por água abaixo.

Basta manter anotado em forma de lista física (celulares são roubados e computadores podem perder seus arquivos). Componha a lista pela data de compra e pela data de validade. Exemplo:

10 kg de Arroz: Data da compra: 20/01/2019 | Validade: 13/01/2020

*Esse texto não considerará métodos que aumentam o prazo de validade dos produtos.

Faça isso para todos e produtos e guarde a lista, garanto que se analisada regularmente nada estragará, basta pôr os produtos mais próximos do vencimento para que sejam consumidos primeiro. Além disso, sempre que você comprar um novo produto, consuma o mais velho do estoque para rotacionar seus alimentos.

CONSUMO

Esse aspecto muitos não consideram e acabam baseando seus estoques em fantasia. Você precisa armazenar aquilo que come, não adianta nada estocar uma ração que é muito nutritiva se você nunca experimentou aquilo e não sabe se vai querer comer.

“Ah, mas durante a situação de crise se come qualquer coisa que encontrar.” É um pensamento com certa lógica, mas no momento vivemos na época onde se pode comprar o que gosta, então porque não armazenar isso? Sem falar que a comida influencia muito o psicológico do indivíduo, não é à toa que os exércitos tanto se preocupam com isso.

RECEITAS

A palavra-chave aqui é teste! Testar é a melhor maneira de se comprovar as coisas. Pegue o antigo livro de receitas da sua avó, busque na internet e mãos à obra, teste inúmeras quantidades de receitas e suas variantes, assim você poderá ter noção do que funciona ou não, evitando qualquer desperdício.

Temas importantes a serem testados são:

  • Substituição de ingredientes;
  • Diferentes formas de preparo;
  • Formas de economizar;
  • Combinação de receitas.

ARMAZENAGEM

Mantenha sempre seus suprimentos em um local fresco, de preferência seco e escuro. Nunca guarde nada (especialmente latas) no chão de cimento. Essas serão mais propensas a ferrugem. Existem quatro fatores que contribuem para a duração de seus itens de armazenamento de alimentos: luz, temperatura, umidade e oxigênio. Quanto menor interação sua comida tiver com essas quatro coisas, mais ela irá durar.

ESPAÇO

Naturalmente você precisará de espaço para guardar seus estoques. Mas não se preocupe! Seja em uma casa de três andares ou o menor apartamento do mundo, com um pouco de criatividade e organização é sempre possível encontrar um espaço para seus alimentos.

Pode ser que esse local não atenda as condições ideais de armazenamento, mas é melhor do que não armazenar nada! Veja só algumas ideias de onde você pode guardar sua comida se estiver com pouco espaço:

  • Debaixo da cama;
  • Crie estantes / prateleiras;
  • Use caixas maiores, baldes ou bolsas como mesas de café. Simplesmente disfarce-o como mobília, cobrindo-os com toalhas de mesa;
  • Empilhe-os atrás do sofá onde há espaço desperdiçado entre o móvel e a parede;
  • Preencha o espaço morto no seus guarda roupas! Normalmente há um pouco de espaço vertical debaixo de suas camisas no armário. É um ótimo lugar acessível para guardar sua comida.

CONCLUSÃO

Manter a perspectiva em uma sociedade que sempre está em mudança pode nos ajudar a nos concentrar no que realmente importa. Quando as prateleiras dos supermercados estão vazias, seja por causa de uma enchente, uma greve de caminhoneiros, crise econômica ou perda de emprego, ainda precisamos comer.

Um sistema de armazenamento de alimentos bem planejado pode permitir a você e sua família o tempo necessário para passar por uma crise. Nem toda crise é do tipo “fim do mundo”! Na verdade, a maioria delas não é. Portanto, um bom planejamento e um avanço gradual mas constante, para a sua meta de 1 mês, 3 meses, 6 meses ou até mesmo um ano de alimentação fornecerão alguma segurança e tranquilidade para você quando estiver enfrentando um desafio.

Como você armazena seus alimentos? Cogitou algum desses aspectos quando criou o seu estoque? Nos conte nos comentários!

Anúncios

4 Comentários

  • Faço meu estoque em garrafas Pets como aprendi com o Júlio Lobo. Vários grãos como arroz, feijão, milho de pipoca, lentilha, canjica. Também armazeno açúcar, café, sal. Agora estou fazendo minhas próprias conservas com o excedente da horta e também conserva de doces. Muito legal o texto, parabéns.

  • Bom ver o site voltando às estratégias básicas de sobrevivência. Acho interessante falar sobre armamento e tal, mas a “logística” fundamental para sobreviver a várias hipóteses possíveis de caos social é armazenar recursos e ter meios de fuga.
    A greve dos caminhoneiros foi um exemplo crucial: em menos de uma semana se implanta o temor social pela falta de combustível e alimentos.
    Acredito que manter uma reserva alimentar e de água para 15 dias seja o mínimo. Como disse o artigo, com alimentos normalmente consumidos pela família. Assim se faz um estoque renovável toda vez que for ao supermercado – se comprar 5 kg de arroz hj, guarde na dispensa e consuma o arroz mais velho de lá, por exemplo.
    Prevendo eventos de maior duração e colapso de fornecimento de energia elétrica, um estoque maior de açúcar, vinagre e sal grosso é interessante, pois são conservantes para frutas, legumes\verduras e carnes.
    Gasolina e remédios de uso contínuo tb é bom ter de sobra.
    Para defesa um bom revólver .38 e 20 balas darão a persuasão inicial ante ladrões e desesperados em geral.
    O problema vai ser qdo a parentela, amigos e vizinhos baterem na porta implorando por comida… o que fazer?

  • Marcelo Tapparelo Júnior

    Ótimo texto para um embasamento geral, o legal de ler isso e perceber que essa “cultura” sempre esteve presente nas famílias do interior, ou pelo menos grande parte, acho que quem tem problemas com aceitação da família com a ideia sobrevivencialista, começar a fazer o tal de “rancho” ou compra do mês, assim você pode economizar combustível e não precisa ir todo santo dia ao mercado, além de, estar dando uma iniciação nesta área tão importante e necessária para nossa sobrevivência.

    Abraços Júlio e Anderson.

    Serra gaúcha.

  • To no caminho. Obrigado pelas dicas, elas são muito preciosas.

Deixe uma resposta para projetomarcate Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s